quinta-feira, 30 de maio de 2019

Orquestra Sinfônica traz o pianista André Mehmari para primeiro concerto de Junho

As apresentações da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro começam junho em grande estilo, com a vinda do multi-instrumentista e compositor André Mehmari. Aos 42 anos, nascido em Niterói (RS) e radicado no interior de SP, ele é considerado uma dos mais brilhantes nomes da nova geração da música instrumental clássica brasileira. Ao piano, como solista, e sob a regência do maestro Cláudio Cohen, o público poderá apreciar duas obras de sua autoria, “Contraponto, Ponte e Ponteio” e “Concerto Chorado”, na apresentação de 4 de junho.

Pianista André Mehmari / Foto: divulgação
“Contraponto, Ponte e Ponteio” é uma obra de 2010 para grande orquestra, que estreou com a Petrobras Sinfônica sob regência de Isaac Karabtchevsky. Com duração de 28 minutos, é composta de quatro movimentos: “Contraponto, Valsa-Ponteio, Ponte e Ponteio”. A regência será do maestro Cláudio Cohen.

Mehmari destaca a dificuldade técnica que o quarto movimento apresenta para a orquestra. “Esta é uma obra de fôlego, que reflete uma diversidade de influências muito grande e testemunha meu trânsito por diferentes ambientes musicais em muitos anos de carreira”, explica ele.

A outra peça de artista virtuoso, que começou a compor aos 13 anos, será o “Concerto Chorado”, de 2007, para piano e orquestra, no qual atuará como solista no primeiro recital da Sinfônica em junho. Compõe-se de três movimentos, “Desespero e Choro”, “Choro Canção” e “Rondó-Finale”, com duração média de 24 minutos.

“Essa obra tem como mote unir o choro e o piano romântico em tons chopinianos. O choro tem essa influência clássica em suas raízes, como demonstra o trabalho de Ernesto Nazareth”, explica. O também pianista brasileiro, lembra  Mehmari, era fã confesso do polonês Frédéric Chopin, outro pianista. Nazareh foi compositor de choro, além de outros gêneros, como samba, maxixe e polca.

Mehmari descreve sua obra como uma “escrita fluida” entre o clássico e o popular e acredita que o público perceberá isso no concerto. “Uma escrita coesa, dentro do gênero brasileiro e contemporâneo”, sintetiza. Familiarizado com a capital federal, onde já esteve várias vezes e cultiva parcerias com músicos locais, como Hamilton de Holanda, o pianista está feliz em voltar: “Brasília está no meu mapa musical há muito tempo”.

Serviço
Concerto da OSTNCS
Artista convidado: André Mehmari
Dia 4 de junho, às 20h
Entrada franca, por ordem de chegada, sujeita a lotação

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona somente em dispositivos móveis