segunda-feira, 15 de julho de 2019

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional abre programação do segundo semestre

Depois de um breve recesso, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, convida a audiência de Brasília para uma viagem partindo do classicismo dos austríacos Joseph Haydn e Wolfgang Amadeus Mozart ao romantismo do checo Antonín Dvořák. A apresentação é nesta terça-feira (16), no Cine Brasília às 20h.

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional

“Haydn é o grande mestre da sinfonia clássica, tendo composto 104 peças. A de número quatro, do início da carreira do autor, é muito leve, de instrumentação ligeira, e remete, como o título antecipa (“A manhã”), a uma abertura lenta, que se desenvolve num movimento rápido”, explica o maestro Cláudio Cohen, que conduzirá a orquestra.

Em seguida, a Sinfônica executará uma das obras mais populares de Mozart, “Pequena Serenata Notuna”. “Trata-se de uma obra da fase madura do autor, de desenvolvimento coeso no fraseado e na estrutura”, ensina o regente.

Finalmente, Dvořák introduz o romantismo, já no século XIX, com seu apelo às emoções, movido na peça pelo lirismo emprestado pelas cordas.

“Nas obras de Mozart e Dvořák, teremos somente cordas, e na Sinfonia de Haydn estaremos diante de uma orquestra clássica com cordas, madeira e metais, mas sem percussão”, sintetiza Cohen.

Serviço
Concerto clássico-romântico, 16/7
Programa
Dvorak – “Noturno Op.40”
Mozart – “Eine Kleine Nachmusik”
Haydn – “Sinfonia 6 “Le matin”

Cine Brasília, às 20h
Entrada franca sujeita à lotação

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona somente em dispositivos móveis