quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Centro de Tradições Populares oferece oficina gratuita de Tambor de Crioula

Tambor de Crioula_Foto_Webert da Cruz

Expressão cultural de matriz afro-brasileira, encontrada em diversos estados do país, o Tambor de Crioula será tema de oficina, composta por cinco aulas, que acontecem entre 12 de outubro e 9 de novembro, das 17h às 19h, no Centro de Tradições Populares. O espaço é um dos territórios culturais mais importantes e tradicionais do DF e sede do Bumba Meu Boi de Seu Teodoro, grupo declarado Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do estado, em 2004. Além do toque dos tambores e da matraca, os alunos também aprendem, com as coreiras, a dança de roda e a compor toadas. É um verdadeiro mergulho na cultura popular.


Para participar, basta comparecer à sede nas datas e horário das aulas. A atividade está sujeita a lotação, não há inscrições antecipadas e a capacidade das turmas vai de 100 a 150 pessoas. A entrada é gratuita e a classificação livre.

Para Tamatatiua Freire, brincante e filha de Seu Teodoro, a atividade é uma forma aproximar a comunidade do grupo e das manifestações culturais do Centro.

“Mais uma vez o Centro de Tradições Populares oferece a oportunidade para comunidade de vivenciar a cultura popular. Conhecer nossas raízes é muito importante para fortalecermos nossas identidades”, afirma.

A oficina faz parte das atividades oferecidas pelo Circuito de Culturas Populares e Afro-brasileiras, projeto idealizado pelo Instituto Candango de Culturas Populares, fomentado pela Fundação Palmares e produzido pela Rosa dos Ventos Produções. O objetivo é estimular a valorização de territórios culturais do DF.

Tambor de Crioula_Foto_Webert da Cruz

 “As culturas populares negras e brasileiras, que erroneamente são encaradas simplesmente como artes estáticas no tempo e no espaço, são, na verdade, manifestações geradoras de técnicas de criação, de ofícios, ciências e artes, que preservam as tradições ao mesmo tempo em que as modernizam. São raízes e sementes, são memória e futuro”, ressalta Stéffanie Oliveira, diretora do Instituto Candango de Culturas Populares.


Sobre a oficina

As aulas serão ministradas por Gilvan do Vale, artesão, puxador das toadas, e membro do grupo há 28 anos. “As oficinas são voltadas para a parte prática, ensinamos aos alunos os toques dos três tambores: tambor grande, meião e crivador e o toque da matraca. Também focamos nas composições de toadas, que muitas vezes são de improviso e mostramos as técnicas que usamos para afinar e confeccionar os tambores”, esclarece Gilvan.

Ele, que já ministrou atividades parecidas sobre o Tambor de Crioula, garante que no final das aulas todos já estarão dominando os toques. “No fim da oficina fazemos uma roda de tambor com os próprios alunos. Uma roda deles, tocada por eles”, relembra.

Mas se perder as primeiras aulas não tem problema, o artesão esclarece que apesar de serem aulas continuadas, é possível pegar o ritmo da turma no decorrer da oficina. “Se alguém quiser começar depois, pode. Só que vai perder um pouco, mas nada impede que o aluno entre e acompanhe a turma já começada, se estiver disposto a aprender”, aponta.

99 anos de Seu Teodoro

O último dia de oficina, primeiro sábado de novembro, será também de grande festejo, e o motivo? O aniversário do saudoso Mestre Teodoro Freire, fundador do grupo. Ele nasceu em 9 de novembro de 1920 e estaria completando, em 2019, 99 anos de idade. A história do Mestre se confunde com a construção de uma identidade individual e coletiva do grupo que carrega uma tradição regional representada na capital federal.

Bumba Meu Boi de Seu Teodoro

O Bumba Meu Boi de Seu Teodoro foi criado, em Sobradinho (DF), em 1963, por Mestre Teodoro Freire. O grupo que é formado por várias gerações de nordestinos, foi reconhecido por seu valor histórico e artístico e declarado Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial por meio do Livro de Celebrações do Distrito Federal, em 2004. É um dos grupos culturais mais antigos da capital federal e participa de importantes eventos da cidade.

Oficinas de Tambor de Crioula
Datas: 12, 13, 19 e 20 de outubro e 9 de novembro
Horário: das 17h às 19h
Local: Centro de Tradições Populares - Quadra 15, área especial 2 - avenida contorno - Sobradinho. (Ao lado do Sesi – Sobradinho)
Entrada: gratuita

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona somente em dispositivos móveis