Brasília recebe última etapa do Cine Migração com oito filmes na programação e feira cultural

O festival internacional de cinema sobre migração, o Cine Migração, chega à tela do Cine de Brasília no domingo (22) que antecede as comemorações de natal. A capital do Brasil é a última etapa do evento que passa também por outros cinco estados brasileiros. Realizado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), o festival ocorre paralelamente em 100 países e ativa as comemorações do dia internacional dos migrantes, festejado em 18 de dezembro.

Card Bsb. Cine Migração 

Além de assistir aos oito curtas e longas apresentados em Brasília, quem passar pelo cinema durante o dia poderá aproveitar a feira de alimentos e artesanatos produzidos por migrantes e brasileiros. A feira cultural conta com a participação do coletivo de estilistas africanos do projeto Egalité, apoiado pelo Grupo Mulheres do Brasil, do chef nigeriano Chidera Ifeani, da música, artesã e gastrônoma venezuelana, Damelis Castillo, de food trucks de sushi e de comida italiana, entre outras atrações.


Outro destaque da programação é a compilação de vídeos da Oficina de audiovisual e histórias para migrantes, a Feitos de Coragem, realizada em 2019 em Brasília e Curitiba. Os migrantes poderão visualizar, junto com o público da capital, o trabalho que eles mesmos colocaram em prática durante os dois dias da capacitação.

“O Cine Migração apresenta filmes que abordam os desafios da migração e as contribuições únicas que os migrantes trazem para suas novas comunidades. O objetivo é fomentar uma discussão mais ampla sobre um dos maiores fenômenos do nosso tempo”, destaca o chefe de missão da OIM no Brasil, Stéphane Rostiaux.

Entre os filmes escolhidos, há obras de ficção, documentários e uma animação, todos de origens diversas, incluindo obras realizadas no Brasil. O intuito da curadoria foi apresentar as diferentes facetas da migração e as situações diversas que os migrantes enfrentam ao redor do mundo.  Temas como tráfico de pessoas, exploração sexual, inclusão social, fluxo migratório, manejo de fronteira e crianças migrantes serão retratados nas telas.

Destaque na seleção internacional e em Brasília, o longa Jovens Polacas, do diretor carioca Alex Levy-Heller, conta a história, baseada em fatos reais, sobre o tráfico de escravas brancas vindas do leste europeu para o Brasil. Para o cineasta, exibir um filme sobre migrantes em um festival sobre a mesma temática aumenta a visibilidade da história. "Assim como muitos imigrantes, as Polacas deixaram seu legado no país onde foram abrigadas. Suas vozes foram ignoradas com o tempo. Felizmente, o Cine Migração não deixará que essa história seja esquecida", comenta Levy-Heller.

No Brasil, as mais de 30 projeções do Cine Migração são alternadas entre Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Curitiba, Manaus, São Paulo e Pacaraima entre os dias 3 e 22 de dezembro. Rodas de conversa, feira cultural de artesanato e de alimentos e debates também entraram na programação de Belo Horizonte, Boa vista, Brasília e Curitiba. As exibições são gratuitas e ocorrem em locais variados como cinemas, auditórios e até mesmo nos alojamentos que abrigam os venezuelanos em Pacaraima e Manaus.

A OIM lançou o Festival Global de Cinema sobre Migração em 2016 com apenas 30 filmes inscritos. No ano passado, foram 784 submissões de diretores independentes de 98 países, o que tornou a iniciativa um fenômeno global do cinema. A seleção oficial do festival de 42 filmes em 2018 proporcionou 558 projeções em 104 países, atingindo a audiência de mais de 30 mil pessoas e inspirando diretores e amantes da sétima arte.

Agenda Cine Migração OIM Bsb
Serviço:
Cine Migração 2019 – Brasília
Data: 22 de dezembro
Local: Cine Brasília, 106/107 Asa Sul (entrada pelo eixo W)
Horário: 10h30 às 20h (início da última sessão)

Filmes:
10h30 –
Exibição de filmes da oficina de vídeo para migrantes Feitos de Coragem, realizada em Brasília e Curitiba em 2019 e conversa com o cineasta e professor da capacitação Gustavo Castro.

15h –
O Ano Novo da Haru, de Alice Shin (19 min)
Três Dias de Agosto, de Madli Lääne (20 min)
A Torre, de Mats Ground (77 min)

17h30 -
Nossas Histórias no Muro: Mulheres e Arte na Fronteira Brasil-Venezuela, de Benjamim Mast e Adriana Duarte (6 min) – participação da produtora do filme, Tainá Aragão
Libertai, de Bill Szilagyi (16 min)
As estátuas de Fortaleza, de Fabien Guillermont e Natália Albuquerque (89 min)

20h –
Presentes da Babilônia, de Bas Ackermann (24 min)
Jovens Polacas, de Alex Levy-Heller (96 min)

Feira cultural nas laterais do cinema.

Programação completa e sinopse dos filmes:
brazil.iom.int/cine-migração

Comentários

Formulário de contato

Enviar