Cine Brasília programa o lançamento nacional “O Farol” para primeira sessão do ano

Continuam os polêmicos “Deus é mulher e seu nome é Petúnia” e “A Rosa Azul de Novalis”.


Cine Brasília. Foto: simulação

Os amantes do expressionismo alemão ou os que têm uma queda pelo filme noir não podem perder o filme que estreia no Cine Brasília no segundo dia do ano.


“O Farol”, que estreia nacionalmente, promete manter quem gosta de cinema preso à poltrona com o drama que confronta homens isolados e atormentados ora por sua natureza psíquica, ora pelos açoites da natureza na forma de ondas arrebentando contra rochas e o grasnar irritante das gaivotas; o tempo todo por luzes e sombras, realidade e devaneios.

Willen Dafoe e Robert Pattinson esgrimam sentimentos sob pulsões de morte em atuações arrebatadoras. O filme foi o vencedor do Prêmio da Crítica da Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes em maio deste ano.

Seguem em cartaz outras duas ótimas pedidas. Petúnia é uma personagem que sacode as convicções de moradores e autoridades na conservadora “eterna” Macedônia. O longa “Deus é mulher e seu nome é Petúnia” revisita a questão de gênero diante do patriarcalismo que dormita em instituições policiais, políticas, familiares e religiosas.

Por fim, há o documentário que lida com a expressão escancarada da homossexualidade no discurso audiovisual dos diretores Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro em “A Rosa Azul de Novalis”. O Cinema entra 2020 em grande forma.

Fichas técnicas e sinopses
“O Farol” (The Lighthouse)
De Robert Eggers (2019, EUA, drama, 110 min, 16 anos)
Sinopse: A história de dois guardas de farol em uma remota e misteriosa ilha da Nova Inglaterra (nordeste dos EUA) no início do século 20. Thomas Wake (Willem Dafoe) trabalha como guardião de um farol. Ele contrata o jovem Ephraim Winslow (Robert Pattinson) como seu ajudante, mas o rapaz fica curioso em relação a segredos e a lugares privados no local – o que parece convocar estranhos fenômenos.

Trailer:


“A Rosa Azul de Novalis” (The Blue Flower of Novalis)
De Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro (2018, Brasil, documentário, 69 minutos, 18 anos)
Sinopse: Marcelo Diório, um dândi de cerca de 40 anos, possui uma memória inigualável. Revive lembranças familiares em sua cabeça e tem recordações de suas vidas passadas. Em uma delas, foi Novalis, poeta alemão que perseguia uma rosa azul. O longa alimenta debates sobre a exposição da nudez, do sexo e da homossexualidade no cinema.

Trailer:


“Deus é mulher e seu nome é Petúnia” (Gospod postoi, imeto i’ e Petrunija)
Sinopse: Em Stip, uma pequena cidade da Macedônia, sempre no mês de janeiro, o padre local joga uma cruz de madeira no rio e centenas de homens mergulham atrás dela. Quem recuperar o objeto tem garantia de boa sorte e prosperidade. Desta vez, Petúnia mergulha na água por um capricho e consegue agarrar a cruz antes dos outros, deixando os concorrentes furiosos: “como ousa uma mulher participar do ritual?”. Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão. Ela ganhou a cruz e não vai desistir.

Trailer:


Programação:
De quinta, 2 de janeiro, a quarta, 8/1. O Cine Brasília fica fechado em 31/12 e 1º de janeiro.
16h – “A Rosa Azul de Novalis”
18h – “Deus é mulher e seu nome é Petúnia”
20h – “O Farol”
Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, sem cartões.
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

Comentários

Formulário de contato

Enviar