terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Orquestra Sinfônica inicia temporada 2020 com clássicos de Beethoven

Ícone da música erudita mundial é homenageado em série de concertos que marcam os 250 anos de seu nascimento.


Thierry Fischer durante concerto com a Osesp [Divulgação /Isabela Guasco]

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) inicia 2020 com o repertório clássico e romântico em seu primeiro concerto da temporada, no próximo dia 04 de fevereiro, no Cine Brasília. A apresentação sob a regência do maestro Cláudio Cohen, com entrada franca, tem no repertório as principais canções do compositor alemão Ludwig van Beethoven (1770 – 1827).


A seleção escolhida para o primeiro concerto da temporada faz alusão às celebrações dos 250 anos de nascimento do músico. Pioneiro do movimento romântico, Beethoven é considerado um revolucionário musical, com canções que possuem caráter narrativo. Suas músicas possuem características originais, com temas melódicos e breves, porém marcantes, como o "tã-tã-tã-tãããã" eternizado na mente de quem ouve e reproduz sua 5ª Sinfonia.
Ludwig van Beethoven levou a era do classicismo musical vienense ao auge. O alemão radicado na Áustria deixou cerca de 240 obras, entre sinfonias, concertos, quartetos, assim como uma ópera, tornando-se um dos compositores eruditos mais tocados da atualidade.

Neste primeiro espetáculo serão apresentadas a 1ª e a 2ª sinfonias do gênio alemão. De acordo com o maestro Claudio Cohen, as homenagens ao compositor serão feitas durante todo o ano de 2020, em que serão apresentadas todas as sinfonias, incluindo os Concertos Para Piano e Orquestra, Aberturas Sinfônicas, Concerto para Violino, entre outras obras.

Cohen ressalta que a comemoração aos 250 anos do compositor é considerada um marco para a história da música clássica erudita e será celebrada em várias capitais do mundo. “A população do Distrito Federal também terá a oportunidade de conhecer e reviver as principais obras deste gênio da música internacional”, conta.

Além de Beethoven, a Orquestra segue com vasto repertório em fevereiro. Na segunda semana do mês (11/02), o concerto será estrelado pela 5ª Sinfonia de Gustav Mahler. O regente e compositor checo-austríaco de origem judaica também é visto como um dos maiores compositores do período romântico do século XIX. O estilo sombrio, que remete a clima de suspense e desventuras, é a principal característica das obras do músico erudito.

A 5ª sinfonia de Mahler foi escrita entre 1901 e 1902. A canção foi classificada por críticos como uma obra de caráter "esquizofrênico", já que nela se dividem o mais trágico e o mais alegre dos mundos. O público poderá conferir, em uma mistura de fanfarra de trompetes alternada com o som de allegro, momentos que remetem a sensações de histeria e angústia, seguindo para os tons sombrios das marchas fúnebres.

A Orquestra volta a prestigiar o legado de Beethoven no último concerto antes do carnaval (18), quando apresentará a 3ª Sinfonia do homenageado do ano. Composta nos anos de 1803-1804, a canção foi nomeada de “Eroica”, em alusão à admiração do compositor pela Revolução Francesa.

Citada como marco do fim da Era Clássica e o começo da Era Romântica, esta sinfonia transmite ao público uma sensação de honra e tristeza. Presente em diversas marchas fúnebres, a obra também marcou época ao ser tocada no enterro das vítimas do "Massacre de Munique", pela Orquestra Filarmônica de Munique em 1972.

Serviço:
250 anos do nascimento de Ludwig van Beethoven
04/02 – 1ª e 2ª sinfonia de Beethoven;
11/02 – 5ª de Gustav Mahler;
18/02 - 3ª Sinfonia de Beethoven;
Regência: Cláudio Cohen
Entrada franca
Acesso por ordem de chegada até lotação do espaço. Os portões são abertos às 19:15 para idosos e pessoas com deficiência e às 19:30 para o público em geral.
Cine Brasília, Entrequadra Sul 106/107
Dúvidas e informações: 2017-4030

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona somente em dispositivos móveis