Cine Brasília programa “Inferninho”, longa que mistura cinema, teatro e temática “queer”

Também na telona os nacionais “Ainda temos a imensidão da noite” e “Açúcar”, além do documentário “Com Amor, Van Gogh”.


Cartaz Inferninho cinemas _ Divulgação 
O Cine Brasília resgata na programação que começa na quinta-feira (6) um filme muito solicitado pelos frequentadores do espaço da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, ainda inédito no circuito comercial da cidade. Trata-se de “Inferninho” (2018), longa da dupla do Ceará Guto Parente e Pedro Diógenes.

A película prima na forma pela originalidade dos diretores na mistura de linguagens – cinema e teatro, fruto da sinergia entre dois grupos cearenses dessas artes, “Alumbramento” e “Bagaceira”, respectivamente – e, no conteúdo, por discutir as fronteiras da cultura “queer”, que aborda questões de gênero.

“Apesar de já estar disponível em plataformas de streaming, consideramos que o filme apresenta uma relevância artística que justifica sua programação na tela grande. É uma oportunidade de apreciação da obra através do dispositivo imersivo da sala de cinema”, justifica o programador do espaço, Rodrigo Torres.

Em 2017, um corte provisório do longa foi premiado na mostra “Futuro Brasil” do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB). “Essa premiação possibilitou a conclusão do filme”, registra o material de divulgação da obra. O interesse em “Inferninho” numa época de intolerância talvez possa ser explicado pelo fato de o bar fictício ser um lugar de refúgio para os que não se enquadram nos padrões normativos impostos pela sociedade, conjecturam os diretores na apresentação que acompanha o filme.

Também volta para nova temporada, depois de ter sido exibido na 52ª edição do FBCB, em 2019 (premiado com Melhor Fotografia e Melhor Montagem na Mostra Brasília), e objeto do “Cine Brasília Debate”, projeto que mistura cinema e bate-papo, no final do mês passado, o longa de produção local “Ainda temos a imensidão da noite”, de Guto Galvão, sobre o fazer artístico do rock numa cidade que nasceu de um projeto libertário e foi, na visão dos produtores, fechando os espaços a essas iniciativas.

Outros dois filmes compõem a grade de programação. “Açúcar”, também produção nacional, sobre a decadência de donos de terra em canaviais na zona da mata pernambucana, continua em cartaz, e o documentário polonês que conta a história do primeiro longa de animação realizado com pinturas dos fotogramas, "Com amor Van Gogh - O sonho impossível".

A seguir confira horários, fichas técnicas, sinopses e trailers.


Programação de 6 a 12 de fevereiro. Na segunda-feira (10) e terça-feira (11) não há exibições.
15h30 – “Açúcar”
17h15 – “Ainda temos a imensidão da noite”
19h15 – “Com amor Van Gogh - o sonho impossível”
20h30 – “Inferninho”

Fichas técnicas dos filmes:

"Inferninho"
De Guto Parente e Pedro Diógenes (2018, Brasil, comédia dramática, 82 minutos, 12 anos)
Elenco: Yuri Yamamoto, Démick Lopes e Samya de Lavor
Sinopse: Deusimar (Yuri Yamamoto) é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio para devaneios e fantasias. Ela sonha em deixar tudo pra trás e ir embora. Jarbas (Demick Lopes), o marinheiro que acabara de chegar, sonha em ancorar e fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar e a vida dos frequentadores.
Trailer:

"Com amor Van Gogh - O sonho impossível" (título original: "Loving Vincent - The impossible dream")
De Miki Wecel (2019, Polônia, documentário, 60 minutos, 10 anos)
Sinopse: Um documentário que mostra em detalhes a difícil jornada de dois cineastas para atingir um sonho impossível: criar “Com amor, Van Gogh”, o primeiro longa de animação da história feito completamente com pinturas.
Trailer:

"Ainda Temos a Imensidão da Noite"
De Gustavo Galvão (2019, Brasil, drama, 98 minutos, 16 anos)
Elenco: Ayla Gresta, Gustavo Halfeld e Steven Lange
Sinopse: Cansada de lutar por um lugar ao sol com sua banda de rock, onde é trompetista e vocalista, Karen (Ayla Gresta) decide ir embora de Brasília. Ela segue os passos do ex-parceiro de banda, Artur (Gustavo Halfeld), que tenta a sorte em Berlim. O convite parte de Martin (Steven Lange), amigo alemão com quem fecham um triângulo imprevisível. Meses depois, forçada a recomeçar em Brasília, Karen precisa entender o papel dela e o papel da arte na cidade que o avô ajudou a construir.
Trailer: 

"Açúcar"
De Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira (2017, Brasil, drama, 88 minutos, 14 anos)
Elenco: Maeve Jinkings, José Maria Alves e Dandara de Morais
Sinopse: Bethânia Wanderley (Maeve Jinkings) não gosta do cenário rural da Zona da Mata, mas precisa voltar ao lugar onde nasceu, um decadente engenho de cana-de-açúcar, para impedir que os antigos trabalhadores do canavial tomem conta das terras. Confrontada pelo líder da associação, Zé (José Maria Alvez), e Alessandra (Dandara de Morais), que passa a ser faxineira da casa para vigiar a sinhazinha, Bethânia terá que lidar com o seu passado e os seus preconceitos.
Trailer:

Serviço:
Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões.
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

Comentários

Formulário de contato

Enviar