domingo, 2 de fevereiro de 2020

Festa das Águas terá rodas de samba em homenagem à Iemanjá

A programação é gratuita e reafirma a força e a beleza da cultura de matriz africana.


Grupo Oyá Bagan Foto_webert da cruz

A Praça dos Orixás vai receber neste domingo (02), a partir das 9h, uma programação especial para celebrar o dia da Rainha do Mar. Entre as atrações, o grupo “Que Trabalho é Esse?” preparou uma roda de samba especialmente para Iemanjá. Apresentando o ritmo como algo transformador, o grupo também é conhecido pelo trabalho sociocultural que contempla a população em situação de vulnerabilidade. É o samba que chega nas ruas, com alegria e os ensinamentos ancestrais. Outra roda é comandada pelos Filhos de Dona Maria, maiores representantes do samba de terreiro no cerrado, fazem vários ritmos a partir da mistura de toques percussivos e outros temperos sonoros de terreiros: a chula, o ijexá, o jongo, a capoeira, cultura e identidade negras têm presença confirmada na Festa das Águas.


Além de prestigiar Iemanjá, mãe de todos os orixás, os festejos se estendem a Oxum, rainha da água doce e dona dos rios e cachoeiras. Ela representa a sabedoria e o poder feminino.

As Rodas acontecem em dois momentos. O primeiro a partir das 13h30, com os Filhos de Dona Maria. Somam-se ao grupo convidados especiais como a cantora Teresa Lopes e o cantor Breno Alves. Já a Roda para Iemanjá, que começa às 19h, traz majoritariamente mulheres negras para dar destaque ao público feminino e ao local de fala dessas mulheres, levando ao evento um momento sagrado e de reflexão. Entre as/os cantoras/es convidadas/os estão: Gija Barbieri, Kika Ribeiro e Fabinho Samba,

“Fazer uma roda de samba para Iemanjá significa muito para nós. Ela é a mãe de todos os Orixás, é a Rainha das Águas salgadas e isso também retrata o empoderamento feminino dentro da roda de samba, abrindo espaços para as mulheres. E é isso que o samba faz: agrega o público e cria novas possibilidades”, comenta a cantora Kika Ribeiro. 

O evento é uma realização do Instituto Rosa dos Ventos, que prima pela valorização das culturas populares e de matrizes africanas, especialmente as produzidas no Distrito Federal.

“ A nossa expectativa de público é de mais de 10 mil pessoas durante a festa que vai durar todo o dia, das 9h às 22h. O objetivo da Rosa em promover esse evento na Praça dos Orixás é de reafirmar esse espaço enquanto patrimônio do DF junto a Festa de Iemanjá, que é patrimônio cultural nacional. O propósito da Festa das Águas é valorizar a praça e ampliar sua ocupação com os terreiros locais, grupos culturais, praça de artesanato e gastronomia, reafirmando a força e a beleza das culturas de matriz africana” afirma Stéffanie Oliveira, presidente da Rosa dos Ventos e coordenadora do evento.

União e encontro


De acordo com Bábà Joel de Ogiyan do Ilê Eiyelé Ogè Asé Ogodò Asè Osumarè, o festejo simboliza a união da religião com a cultura tradicional, forças que se complementam.

“É muito importante ocupar os espaços públicos como a praça dos Orixás no dia 02 de fevereiro, ver o lago Paranoá brilhar mais forte com as bênçãos das Deusas Africanas, unindo todas as crenças, toda diversidade, tomar banho de água de cheiro e pedir mais união entre os povos. As duas mãos se unem em um só espaço, ninguém vive só. As religiões trazendo sua fé e sua mais delicada forma de expressão, sem pedir nada em troca. E a cultura tradicional de um povo que também traz o cântico, a dança, a percussão, o ritmo, a culinária, tudo saiu da cultura africana. Uma não está desligada da outra, na verdade uma aprende com a outra e se completam de mãos dadas, sem discriminação de cor, raça ou religiões. ”

Programação


Além do samba, a programação oferece ao público um dia de atividades voltadas às culturas de matrizes africanas negras e brasileiras, com a participação de artistas da cidade, grupos musicais, rodas de capoeira e terreiros locais. A festa também terá uma feira afro composta por expositores regionais e a participação da Coisa de Preto, feira itinerante com foco no mercado Afro empreendedor.

No Espaço Axé, local reservado para as expressões religiosas, a partir das 9h, o público pode acompanhar atividades como lavagem simbólica de Oxum e Iemanjá, entrega de oferendas e apresentações de tradicionais Toques de Umbanda e Toques de todas as Nações do Candomblé.

O Palco Prainha é o espaço destinado para as apresentações musicais onde sambistas, cantores, grupos e artistas locais complementam as homenagens para Iemanjá.

Já no Espaço Agô, o público vai dançar ao som de ritmos africanos no aulão de dança afro, comandada pelos grupos Afrontasia e jogar capoeira na roda liderada pelos Projetos Folha Seca e Barracão da Cultura. E tem mais: uma apresentação de agbê, instrumento musical de percussão, com as meninas do Agbelas.

Confira a programação completa:
Espaço Axé
9h – Lavagem Simbólica de Iemanjá e Oxum
10h – Toques de Umbanda
10h30 – Toque de Ketu
11h – Toque Angola
11h30 – Toque Jeje
12h -  Entrega das Oferendas - Grupo Oyá Bagan

 Palco Prainha
13h30 – Filhos de Dona Maria com participações de Teresa Lopes e Breno Alves
14h30 – Bando Matilha Capoeira
16h– Entrega das Oferendas - Federação
18h – Cortejo com Orquestra Alada Trovão da Mata
19h - Roda de Samba para Iemanjá com: Que Trabalho é Esse?, Fabinho Samba, Gija Barbieri e Kika Ribeiro

 Espaço Agô 
11h - 16h - Roda de Capoeira com Projeto Folha Seca e Barracão da Cultura, Clã das Águas - apresentação de agbê com Agbelas e Aulão de Dança Afro com Afrontasia.
22h - Encerramento

Serviço - Festa das Águas
Data: 02 de fevereiro (domingo)
Hora: a partir das 09h
Local: Praça dos Orixás – Prainha do Lago Sul
Classificação: livre
Entrada: franca

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona somente em dispositivos móveis