Premiado filme chileno sobre o renascer após a ditadura de Pinochet entra no Cine Brasília

História da fotografia no Brasil, dos primórdios ao digital, também estreia na capital.


Cartaz do documentário Fotografação

Um filme sobre o renascimento do Chile pós-Pinochet, na visão de um povoado isolado, é o destaque em cartaz no Cine Brasília a partir de quinta-feira, 5, no horário mais nobre. Também estreia documentário sobre a trajetória da fotografia no Brasil e o impacto da forma digital do registro imagético na leitura do diretor de fotografia Lauro Escorel.

O filme das 20h é o terceiro longa-metragem da diretora chilena Dominga Sotomayor e estreou em circuito comercial no Brasil no final de fevereiro. Com ele, a cineasta foi a primeira mulher a receber o prêmio de Melhor Direção no Festival de Locarno (Suiça) de 2018. Teve exibições em festivais no Brasil na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e no Festival do Rio no ano passado.

A trama está ambientada na volta da democracia ao Chile nos anos 1990, com a queda de Augusto Pinochet no ano anterior. Acompanha a rotina de famílias que vivem aos pés dos Andes, o crescimento de suas crianças e o amadurecimento dos adolescentes na lida com amores, desejos e medos.

Domingas entende que se trata de um filme sobre crescer num momento de mudanças significativas, vistas entre rasgos de nostalgia e crua desmistificação de um período. Uma história de personagens jovens numa sociedade machucada, o Chile, amargurado pela ditadura.

Fotografia digital


O novo trabalho de Lauro Escorel, “Fotografação”, fez sua estreia no 24º “Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade 2019” e chega ao circuito comercial agora. O filme passa em revista a fotografia no Brasil do seu surgimento aos dias atuais, lembrando os principais nomes dessa arte, e o impacto da fotografia digital com sua tempestade de “selfies” e registros fora de padrão, propondo novos modos de ver o mundo.

“Fotografar agora parece estar ligado a se mostrar, postar na rede e talvez lembrar. Não é mais sobre a imagem, sobre a ideia de captar um momento único, um quadro, uma composição”, diz Escorel, que além de diretor de fotografia, é roteirista e produtor. Nascido em Washington, é irmão do diretor Eduardo Escorel.

Lauro assinou a direção de fotografia em filmes de Leon Hirszman, Cacá Diegues e Hector Babenco entre outros. Teve a ideia do documentário em 2014. “Foi do desejo de mostrar a um público mais amplo as belas imagens guardadas nos principais acervos do país que nasceu a ideia de fazer um documentário sobre a história da nossa fotografia. Vi ali a possibilidade de narrar como se deu a apresentação do Brasil aos brasileiros (e ao mundo) por meio dessas imagens", explica Lauro.

Fica mais uma semana em cartaz o filme de Alex Levy-Heller “Jovens Polacas”, que recupera a história de mulheres judias do leste europeu que vieram para o Brasil fugindo ao nazismo, na esperança de emprego ou casamento, mas acabaram sendo prostituídas.

Programação de 5 a 11 de março, lembrando que na segunda (9) e na terça (10) não há sessões de cinema  em razão da apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro.

Horários, fichas-técnicas, sinopses e trailers a seguir.


16h – Jovens polacas
18h – Fotografação
20h – Tarde para morrer jovem

“Tarde para morrer jovem” (Tarde Para Morir Joven, no original)
De Dominga Sotomayor (2019, Chile, drama, 110 min, 16 anos)
Elenco: Demian Hernández, Antar Machado e Magdalena Tótoro
Sinopse: No filme, a democracia volta ao Chile no verão de 1990. Um grupo de famílias que vive em uma comunidade isolada aos pés dos Andes busca construir um novo mundo distante dos excessos urbanos, enquanto acompanha o amadurecimento das crianças e adolescentes, lidando com seus primeiros medos e amores num novo momento do país.

Trailer:


“Fotografação”
Direção: Lauro Escorel
País: Brasil
Gênero: Documentário
Ano de produção: 2019
Duração: 76 minutos
Classificação: Livre
Sinopse: Passeando pela história da fotografia brasileira, os impactos dos avanços tecnológicos são analisados por meio das perspectivas daqueles que vivem os prazeres e obstáculos da profissão. Em uma sociedade cada vez mais conectada, onde as informações surgem por uma demanda quantitativa, a digitalização do ofício do fotógrafo torna-se praticamente uma ameaça.

Trailer:


“Jovens Polacas”
De Alex Levy-Heller (2019, Brasil, drama, 96 minutos, 14 anos)
Elenco: Jacqueline Laurance, Emilio Orciollo Netto e Thierry Tremouroux
Sinopse: Baseado no livro homônimo de Esther Largman, o filme conta a história de mulheres judias iludidas pela possibilidade de uma nova vida e traficadas do leste europeu para a prostituição no Rio de Janeiro no início do século XX. Ao ser entrevistada pelo jornalista Ricardo, Mira busca em sua memória detalhes de sua vida e rotina com sua mãe e faz as pazes com o passado.

Trailer:


Serviço:
Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões.
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660

Comentários

Formulário de contato

Enviar