Isolamento social: um desafio no relacionamento familiar

Muitos brasileiros estão isolados em casa para evitar a propagação do novo coronavírus. Compartilhar o mesmo teto por tempo indeterminado, mesmo que seja com pessoas amadas, pode gerar conflitos e estresse. Mas como sobreviver a esse período sem estragar as relações? Fabrício Nogueira, especialista em constelação familiar, dá dicas para manter os laços saudáveis durante o período de quarentena.

Foto: Divulgação

“Certos conflitos podem ter origem de uma situação traumática ou de um comportamento que perpetuou gerações”, reitera Fabrício Nogueira, que também trabalha com constelação familiar.

A constelação familiar serve para analisar a família procurando a raiz de certos comportamentos que causam problemas. Ao nascer, todas as pessoas trazem consigo características genéticas. Na maioria das vezes, os primeiros traços notáveis são os relacionados a aspectos físicos, cor dos olhos, cabelo e estrutura corporal.

Da mesma forma, ao longo do desenvolvimento, algumas particularidades emocionais também se manifestam, como maneira de reagir às situações e até mesmo gostos e aptidões. O objetivo da constelação familiar é analisar a raiz dos comportamentos e reações.

A  prática terapêutica é usada para tratar questões físicas e mentais a partir da revelação das dinâmicas ocultas de uma família. É possível identificar acontecimentos que, mesmo desconhecidos, podem trazer problemas para a vida de uma pessoa.

As dinâmicas consistem em montar o sistema familiar e entrar em contato com o campo morfogenético do sistema familiar do cliente. Esse contato possibilita identificar os motivos que possam ter ocasionado um desequilíbrio nesse sistema.

Fabrício Nogueira ainda revela formas de manter a harmonia no dia a dia. “Diálogo é a palavra-chave. É importante estabelecer regras de boa convivência e conversar abertamente com toda a família. Mesmo amando os nossos familiares, ficar confinado, principalmente sendo um período de tantas incertezas, acaba favorecendo para um ambiente de conflito. No entanto, existem técnicas para evitar que isso se torne um problema maior”, afirma.

Na avaliação do especialista, o ideal é que as pessoas tenham o próprio espaço dentro de casa e mantenham a rotina. “Respeite o tempo e a privacidade dos outros moradores. É importante que todos se unam para fazer coisas que gostem. Jogar, assistir televisão, ouvir música. Esses momentos de descontração fortalecem os laços e tornam o isolamento mais divertido”, conclui Nogueira.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem