quinta-feira, 16 de julho de 2020

Queimaduras, a depender da gravidade, precisam de atenção profissional

Especialista alerta que, mesmo com distanciamento social, o uso de álcool em casa e fogos de artifícios sem os devidos cuidados podem causar acidentes.


Queimaduras_reprodução 

As queimaduras representam um agravo significativo à saúde pública no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, pesquisas mostram que, entre os casos de queimaduras notificados no País, a maior parte ocorre nas residências das vítimas, em acidentes domésticos. Ainda segundo o MS, entre as queimaduras mais comuns estão as decorrentes de escaldamentos (manipulação de líquidos quentes), as que ocorrem por descuido com objetos em casa, como um ferro de passar roupas, chapinha, panela quente, entre outros. Há ainda, os casos relacionados ao uso de produtos inflamáveis, como por exemplo o álcool e também a exposição solar por muito tempo.


De acordo com o dermatologista Erasmo Tokarski, antes de tratar qualquer que seja a queimadura é essencial saber como ela ocorreu e qual o tipo de grau sob a pele, fator que irá determinar a gravidade da lesão. 

“Por vezes, as pessoas tendem a usar produtos caseiros ou fazer misturas e colocar sobre a região afetada. Isso pode piorar a lesão e provocar ainda mais irritação. Por este motivo é preciso cautela no momento de ajudar alguém que se feriu. Somente o médico poderá indicar o tratamento correto, seja com pomadas, corticoide ou antibióticos”, alerta o profissional.

Atualmente, devido à pandemia de Covid-19, o uso de álcool em casa cresceu. Seja ele em gel ou na versão 70%, a maioria da população busca ter um frasco em casa para higienizar ambientes e se proteger do vírus. Mas o dermatologista alerta que é preciso cuidado no manuseio, mesmo dessas versões.

“O álcool é combustível e, portanto, há riscos de queimadura na pele, especialmente se for manipulado perto do fogo. No caso do álcool em gel é possível que pegue fogo o lugar onde a substância foi passada e ainda não secou. Portanto, é preciso redobrar os cuidados com o uso desses produtos no momento de cozinhar ou quando estiver em contato com o fogo”, ressalta.

Outra época em que as queimaduras são mais frequentes é quando ocorrem as festas de São João, onde são comuns as fogueiras, balões e fogos de artifício. Apesar do distanciamento social, que impede a realização de grandes festas no Distrito Federal, algumas pessoas ainda se arriscam  com esses artifícios. O especialista em pele afirma afirma que o manuseio inadequado aumenta o risco de de casos de queimaduras. 

Conheça os tipos que queimaduras:



  • Queimaduras de primeiro grau: ocorrem quando apenas a parte superficial da pele foi atingida. A lesão apresenta aspecto avermelhado, calor e é dolorosa. 
  • Queimaduras de segundo grau: podem ser superficiais ou profundas. Elas causam bolhas e muita dor. As bolhas devem ser drenadas por um profissional, mas não retiradas, pois servem como curativos biológicos.  
  • Queimaduras de terceiro grau: são as mais graves. Apesar de acometer todas as camadas da pele, essas lesões são indolores, justamente,  porque destroem inclusive os nervos da região. Podem atingir os músculos e causar deformidades graves e há necessidade de internação hospitalar.

Postar um comentário

O botão Whatsapp funciona apenas no dispositivo móvel