Pesquisa do Pricebook revela o que está no carrinho de compras do brasiliense em tempos de pandemia

Um relatório da startup brasiliense Pricebook mostra que de março à agosto deste ano, os laticínios estiveram no topo da lista que compõe o mix de produtos no carrinho de compra dos brasilienses. Na média do período, essa categoria chegou a 16,0%, seguido por higiene pessoal (11,6%), pães, biscoitos e snacks (9,7%), produtos de limpeza (9,5%) e molhos, condimentos e temperos (7,8%).


Pesquisa revela mudanças no comportamento do consumidor


O destaque ficou para produtos de higiene pessoal, que em maio participou com 30,6% (ver gráfico) das compras no mês. No mesmo período, o Instituto Datafolha anunciou que o país tinha 60% de adesão ao isolamento social, o que pode explicar a alta significativa dessa categoria, com uma suposta formação de estoque desse tipo de produto nas residências. 


Nos meses subsequentes, esse mesmo Instituto mostra que houve uma redução da adesão ao isolamento social e a pesquisa do Pricebook registra que o consumo nessa categoria continuou, mas com uma participação menor na composição do carrinho de compras: 10,1% em junho, 9,9% em julho e chegando a 7,4% em agosto. Isso sugere três hipóteses: A primeira, houve uma formação de estoque doméstico em maio, o que pode explicar a queda de participação no mix de consumo;  a segunda um relaxamento nos cuidados da prevenção da Covid-19 ou e a terceira, as duas coisas juntas. Mesmo assim, essa categoria chega no período entre março e agosto em 2º lugar, com 11,6%, no ranking das 5 categorias com maior participação no carrinho de compras do consumidor de consumo recorrente. 


“De acordo com os dados de nossa plataforma, existiu uma certa mobilidade mensal nas categorias de produtos consumidos pelo brasiliense no período de março à agosto, mostrando talvez um novo perfil de consumo nesse período de pandemia e isolamento social”, explica Paulo Melo, CEO do Pricebook.


A pesquisa também identificou variações de preços de produtos dentro das categoria. Os dados revelaram que houve uma majoração de preços no leite integral tipo longa vida na ordem de 67,97% (porcentual anual) em média; contudo, entre as margarinas e manteigas, os preços foram reduzidos em 47,3%. A variação de preços nos laticínios pode refletir os efeitos da sazonalidade, como a entressafra, que no caso dessa categoria acontece entre março e setembro.


Outro produto que chamou atenção foi o arroz, mas não pela participação no mix de produtos de consumo, que chegou somente a 1,4% no período de março à agosto, mas pela elevação dos preços. O arroz tipo 1 pacote de 5kg, teve uma variação de preços anualizada na ordem de 123,97%. No pacote de 1kg, a variação de preços chegou a 198,81% e no pacote de 2kg, 270,45%. Não é à toa que esse item, tão popular na mesa do brasileiro, ficou em evidência e acabou se tornando o grande vilão da temporada. 


A startup Pricebook disponibiliza nas lojas Google Play e Apple Store gratuitamente um App para smartphone, onde o usuário cadastra seus produtos de compra recorrente e através da leitura do código de barras, pode acompanhar o histórico de preços dos produtos e assim, poder tomar a melhor decisão e economizar nas suas compras.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem