Associação Caatinga completa 22 anos de atuação socioambiental na Caatinga

No dia 21 de outubro de 1998, a Associação Caatinga (AC) surgia em Fortaleza para contribuir com a valorização e conservação da Caatinga. Completando 22 anos em 2020, a AC comemora uma história de desafios e conquistas na jornada para reescrever a relação do sertanejo com o meio ambiente.

AbraceTatu Bola / Foto: Acervo


A Associação Caatinga é uma entidade sem fins lucrativos que trabalha para promover a conservação das terras, florestas e águas da Caatinga a fim de garantir a permanência de todas as formas de vida do bioma.


A instituição mantém, há 20 anos, a Reserva Natural Serra das Almas, um verdadeiro reduto de conservação do bioma Caatinga. Localizada entre o município Crateús (CE) e Buriti dos Montes (PI), a unidade de conservação foi criada em setembro de 2002 e possui 6.285 hectares de extensão. 


Para ter uma ideia, se a Serra das Almas fosse criada em Fortaleza (CE), ela ocuparia 20% da cidade. A área de proteção abriga 230 espécies de aves, 45 tipos de répteis, 33 de anfíbios, 323 de plantas e 45 tipos de mamíferos. Das 6 espécies de felinos da Caatinga, 4 já foram avistadas na Serra das Almas: onça-parda (Puma concolor), espécie ameaçada de extinção e segundo maior felino do Brasil, jaguatirica (Leopardus pardalis), gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus) e gato-mourisco (Puma yagouaroundi)


Projetos socioambientais

A Associação Caatinga já realizou mais de 70 projetos socioambientais em 50 comunidades sertanejas que foram impactadas com ações de educação ambiental, conservação, desenvolvimento sustentável e disseminação de tecnologias sustentáveis.


Ao total, a Associação Caatinga disseminou 1.168 tecnologias sustentáveis para cinco municípios: Granja (CE), Morrinhos (CE), Crateús (CE), Paraipaba (CE) e Buriti dos Montes (PI). Com essas ações, 3.600 famílias foram beneficiadas. As tecnologias são cisterna de placas, forno solar, fogão ecoeficiente, sistema bioágua, meliponicultura, compostagem e gestão do resíduo sólido e coletores de sementes.


Na área de educação ambiental foram mais de 111 mil pessoas envolvidas, desde agricultores a funcionários de empresas, além professores e jovens estudantes. A Associação Caatinga já realizou ações educativas em 87 escolas, as atividades acontecem através de palestras, cursos, capacitações e eventos educativos - tudo feito de forma dialógica, com foco na troca de saberes.


Quando o assunto é conservação, os números não ficam para trás. A Associação Caatinga já plantou 255 mil mudas de espécies nativas e restaurou mais de 120 hectares de floresta degradada. A AC também atua no desenvolvimento de áreas preservadas e apoiou a criação de 25 unidades de conservação, sendo 24 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e 01 UC pública, totalizando 36.637,09 hectares protegidos. 


Além de conservar, a Associação Caatinga também produz conteúdo e estimula a implementação de políticas públicas socioambientais. Foram mais de 30 pesquisas científicas realizadas, incluindo estudos com felinos de grande porte em extinção na Caatinga, avaliação de um fungo como agente de controle biológico para combater a Unha do Diabo (Cryptostegia madagascariensis), planta invasora vinda de Madagascar que tem colocado em risco os carnaubais do Nordeste e identificação de áreas prioritárias para conservação do Tatu-Bola (Tolypeutes tricinctus), o menor tatu do Brasil que está ameaçado de extinção e que foi escolhido como mascote para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 por indicação da Associação Caatinga. 


Relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Outro foco da Associação Caatinga é aliar o trabalho de conservação aos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, uma coleção de 17 metas globais estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas.


Os ODS abrangem questões de desenvolvimento social e econômico, como pobreza, igualdade de gênero, aquecimento global, educação, saúde e etc. O propósito é alcançar as 17 metas até 2030.


As ações da Associação Caatinga estão alinhadas a três objetivos da Agenda 2030. Ao 6º, que busca garantir disponibilidade de água limpa para todos; ao 13º que trata de mudanças climáticas e, por último, ao 15º que é focado na proteção e recuperação dos ecossistemas terrestres.


Também há aderência aos ODS 1, 2, 3, 5, 10, 12 e 17. Por todo seu trabalho, a Associação Caatinga já ganhou 11 prêmios nacionais e internacionais; tornando-se referência na proteção da Caatinga e desenvolvimento sustentável de comunidades rurais.


Contato:

Coordenadora de Comunicação: Kelly Cristina – kelly@acaatinga.org.br | (85) 98878.3587

www.youtube.com/c/acaatinga

www.facebook.com/associacaocaatinga

www.instagram.com/acaatinga/

www.acaatinga.org.br/

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem