Falando Dhi Amor: artistas de Brasília lançam projeto on-line para homenagear história e pontos turísticos da cidade

 

Falando Dhi Amor

No ano do sexagenário de Brasília, que culminou com a pandemia do novo Coronavírus, as artistas Dhi Ribeiro e Gisele Gama se reinventaram e irão lançar o novo projeto na cidade intitulado “Brasília: Falando Dhi Amor”. A iniciativa, que surgiu de forma natural entre a autora e a cantora, propõe um portal em 3D no qual as pessoas poderão, ao mesmo tempo em que experimentam um espetáculo virtual – que reúne músicas e poemas -, navegar por vídeos, imagens, depoimentos e histórias de Brasília. A apresentação do espetáculo, que é parte desse Portal, será dividida em cinco atos. Conta a história de amor entre um operário e sua companheira, e como esse amor influenciou a construção da nova capital do Brasil. 

 

Segundo Gisele, uma viagem longa e solitária a fez enxergar o quanto era grata por ter sido criada em Brasília. “O ano do aniversário de 60 anos da cidade se aproximava e comecei a discutir com Dhi Ribeiro uma forma de demonstrar o quanto Brasília é acolhedora, no sentido pleno da palavra”, afirma. A escolha foi certeira, porém enquanto a ideia amadurecia, o mundo parou por conta da pandemia. “Isso nos fez olhar para outras questões e pudemos viver as experiências de ver além, de acreditar nos sonhos e de trabalhar coletivamente. É isso que vamos mostrar neste espetáculo que reúne artistas incríveis com uma protagonista mais que especial: Brasília”, completa. 

 

Para Dhi, a homenagem à cidade vem de forma inovadora. “Sabemos que os tempos atuais exigem distanciamento e que precisamos estar preparados para novas formas de enxergar o mundo”. Segundo ela, a cidade é muito nova e tem a capacidade de inovar. “Queremos mostrar para o mundo que há outras formas de fazer turismo, conectando o coração de Brasília, como a arte, histórias, geografia e tecnologia, com outros corações”, finaliza. 

 

O quadradinho em cinco atos 

O espetáculo, que é a primeira etapa do projeto, será gravado no dia 27 de dezembro de 2020 e se dará em cinco atos, que passam pelo início de Brasília até os dias atuais, contados pela história de Léo, um operário e poeta que aceita o desafio de ajudar na construção da nova capital, e sua amada. “No primeiro ato, procuramos falar daquilo que motivou a chegada de muitos candangos que deixaram suas famílias em suas terras natais. No segundo, falamos dos desafios de construir um sonho a partir do nada, enquanto a saudade aperta”, explica Gisele. 

Já no terceiro ato, as artistas mostram, com imagens, poemas e músicas, uma Brasília concreta, a cidade da esperança, depois de um esforço que começa a brotar sementes. “No quarto ato nós falamos de união e fé. Brasília é uma cidade mística, e nós queríamos mostrar que a fé realmente faz as coisas acontecerem. O quinto tem a palavra ‘gratidão’ como guia. É a poesia de poder enxergar aquilo que se construiu”, conta Dhi..O espetáculo promete ainda uma surpresa, reservada para o ato final. 

O figurino das artistas, as músicas e poemas foram cuidadosamente pensados e selecionados para remeter a ideia de que tudo vai da escuridão para a luz, da invisibilidade ao visível, assim como Brasília foi. Para as duas, a ideia do espetáculo é trazer uma mensagem de confiança, desejando que isso leve para o público a vontade de acreditar nos sonhos e na capacidade de realização, e de que Brasília é o exemplo concreto de que tudo é possível.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem