No Brasil, idosos são as maiores vítimas de fraudes bancárias

 

Idosos golpe - divulgação

Os idosos continuam sendo as maiores vítimas de fraudes bancárias e estelionato no Brasil. De acordo com um levantamento da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), houve um aumento de 60% em tentativas de golpes financeiros contra essa população durante a pandemia.

 

Na avaliação do especialista em segurança pública e privada Leonardo Sant’Anna, esses casos podem ser ainda maiores, pois tratam-se de crimes subnotificados. “Estima-se que o número da violência contra o idoso seja muito maior. Isso acontece por vários motivos: vergonha, medo da retaliação e ainda pior: o envolvimento de filhos e familiares nesse tipo de crime”, explica. 

 

Neste ano, a Febraban anunciou que as instituições financeiras se comprometeram a adotar a partir de 2021 um conjunto de ações para proteger os idosos. Entre os exemplos de golpes, estão as ligações para a casa dos clientes, em que o estelionatário diz ser do banco e pede para confirmar dados pessoais e senhas. “Ao fornecer informações, o consumidor expõe sua conta bancária e seu patrimônio aos golpistas”, ressalta Sant’Anna. 

 

Golpe do motoboy

 

Fazendo vítimas no país inteiro, o Golpe do Motoboy é conhecido com o seguinte modus operandi: uma ligação é feita para confirmar “movimentações suspeitas” em conta corrente ou cartão de crédito; em seguida, pedem que o cliente ligue para os números de telefone disponíveis no verso do cartão; a chamada é desviada para uma central falsa, que solicita a digitação das senhas e o corte dos cartões ao meio; para concluir o golpe, a central falsa oferece o serviço de motoboy para pegar os cartões na casa da vítima.

 

O especialista em segurança Leonardo Sant’Anna faz um alerta para evitar cair nessas armadilhas. “Os golpes estão cada vez mais elaborados e quem os aplica está inovando a cada dia. Vale o bom e velho poder da informação. Informem-se, não passem informações pessoais e se certifiquem com quem estão falando. Todo cuidado é pouco”, conclui.

 

Dicas para não cair em golpes pelo telefone ou internet:


  • Não compartilhe fotos do cartão de crédito/débito;

  • Não passe senhas por telefone;

  • Não entregue documentos e cartões para desconhecidos;

  • Desconfie de solicitações de senha por telefone ou e-mail;

  • Não entregue seus cartões, mesmo que inutilizados;

  • Tenha cuidado ao se desfazer dos cartões. Para inutilizar, sempre destrua o chip e a tarja.

  • Ao perceber que foi vítima de alguma armadilha, procure a polícia imediatamente.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem