Ano Novo Com Mais Saúde Mental

Um ano novo se inicia e certamente "ter saúde" está no topo da lista de desejos de todos nós, especialmente se considerarmos o contexto pandêmico no qual vivemos atualmente. Acontece que por definição saúde não se limita apenas a ausência de doenças, segundo a Organização Mundial de Saúde trata-se de um "estado completo de bem-estar físico, mental e social". 


Dessa maneira, entende-se que todos estes aspectos são complementares e igualmente importantes para sermos de fato saudáveis. Infelizmente em nossa sociedade é comum negligenciarmos o cuidado com a saúde mental, tanto na esfera privada quanto na esfera pública, tal comportamento coloca o Brasil no topo do ranking mundial quando o assunto é ansiedade, cerca de 9,3% dos brasileiros sofrem com algum tipo de Transtorno de Ansiedade. Se considerarmos a Depressão, uma das doenças mentais mais incapacitantes da atualidade, somos o quinto país do mundo em número de casos diagnosticados. 


No Distrito Federal, os últimos dados divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, apontam que 9,4% dos brasilienses foram diagnosticados com depressão, o que corresponde a 218 mil pessoas na capital. Como forma de conscientizar sobre a importância e urgência do cuidado com a saúde mental, o primeiro mês do ano é marcado pela campanha Janeiro Branco que visa mobilizar a sociedade e o poder público para a valorização deste cuidado. 

Janeiro Branco / Imagem: Divulgação

Em 2021, a campanha nos convida a assumir um Pacto pela Saúde Mental, no qual de forma individual e coletiva, possamos nos comprometer com o cuidado da saúde mental para dessa forma gozarmos de uma vida mais harmônica e com mais sentido, na qual nossas emoções e subjetividade deixem de ser secundárias e entrem para o rol de prioridades da nossa existência. No ano que passou tivemos nossa saúde mental colocada a prova por múltiplas contingências aversivas, por isso se faz necessário nesse novo ciclo que se inicia e para o qual se deseja saúde e prosperidade, respondermos a pergunta: Como estamos cuidando de nossa saúde mental? Somente após avaliarmos como e quanto de nosso tempo e energia estamos investindo neste cuidado essencial é que será possível estabelecermos estratégias de manutenção ou de cuidado efetivo com a saúde mental. 

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem