Por que mudar é tão difícil?

Mudar apesar de necessário costuma ser pouco confortável. Sonhos e projetos para saírem do papel, ganharem forma e se concretizarem dependem de movimento contínuo, de pequenas e grandes atitudes na direção do que se pretende alcançar. Um dos maiores desafios quando nos propomos a mudar algo em nossas vidas está no fato de que vamos nos deparar com o novo, vamos ter que nos abrir para o desconhecido. 

Por que mudar é tão díficil? / Imagem: Freepik

Mudar envolve fazer, agir diferente, sair da zona de conforto (aquele lugar "quentinho" e "acolhedor" onde nada de novo acontece) e inevitavelmente perde-se a previsibilidade, o que costumava ser conhecido e familiar dá lugar ao inesperado. No contato com o novo certamente perdemos a previsibilidade mas ganhamos em experiência e aprendizado, adquirimos repertório de autoconfiança e autoestima. Mas você pode estar pensando: "Ah, mas mudar não é fácil, além de dar muito medo!" É verdade, mudar tem um custo alto e nos deixa ansiosos, não temos certeza quanto ao resultado e é absolutamente normal sentir medo diante do imprevisível, do diferente e do novo (estranho, aliás, seria não sentir medo nesse contexto). 



Mas a partir do momento em que se  assume um compromisso com a mudança que é valorosa e importante para nossa vida e para quem queremos nos tornar, nos permitimos o enfrentamento gradual dos medos e inseguranças que nos travam e esse processo favorece nosso crescimento pessoal. A medida que vivemos novas experiências, redefinimos os limites que estamos familiarizados. Entender o que é preciso mudar não é suficiente, é necessário uma boa dose de execução, de exposição as contingências, inclusive aquelas que causam desconforto. Muitas pessoas dizem: "Eu sei exatamente o que eu preciso mudar, mas apesar de saber, não mudo." Será que não está faltando praticar o que você já sabe? Penso que aqui cabe bem a orientação do psicólogo americano Steven Hayes: "Saia da sua mente e entre na sua vida." Saia do campo simbólico, dos pensamentos lógicos e entre no campo concreto das ações, toda grande jornada começa com pequenos passos.


Mudanças se apoiam em um tripé composto por: aceitação, que envolve estar aberto para experiência de mudança e tudo que ela envolve; percepção das informações favoráveis e desfavoráveis à mudança presentes no contexto e as convicções pessoais sobre o que e porquê mudar, darão sentido e servirão de bússola no processo de mudança. É preciso avaliar honestamente se a mudança que estou buscando ou pretendo alcançar realmente está alinhada com o que é importante e significativo na minha vida, já que mudar é realmente difícil e trabalhoso, então, que seja coerente com a vida que se pretende viver.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem