Instituto Chamaeleon completa 14 anos e enfrenta desafios durante pandemia

 

Crianças em atendimento antes da pandemia - divulgação


O Instituto Chamaeleon, instituição que cuida de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual e maus tratos, completou em janeiro 14 anos de existência. O Chamaeleon é considerado uma OSCIP, ou seja, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público. Ao longo dos anos de existência, já atendeu 1560 pessoas em situação de vulnerabilidade, incluindo, além das crianças e adolescentes, mulheres (inclusive trans) vítimas de violência. Como principais atividades do Chamaeleon estão o atendimento psicológico e a defesa dos direitos sociais dos atendidos. O instituto conta atualmente com 20 psicólogos voluntários, que estão totalmente engajados a curar os traumas dos acolhidos, além de membros da diretoria e conselheiros consultivos.

A idealizadora Beatriz Schwab conta que o nome surgiu a partir do depoimento de um dos primeiros atendidos, que disse "vocês foram a estrela que guiou minha vida!". Da ideia da estrela, chegou-se ao nome da constelação Chamaeleon, próxima à Cruzeiro do Sul. Segundo Andrey do Amaral, um dos diretores, o maior desafio da Chamaeleon atualmente é o atendimento online, em especial das crianças até quatro anos. "Estamos atendendo de forma híbrida, ou seja, uma parte presencial e outra remotamente. As crianças menores ainda não conseguem entender muito bem o tratamento online, que é feito via telefone, whatsapp ou google meet", explica.

O Chamaeleon optou por não atender presencialmente para evitar aglomerações. "Nossas salas não têm ventilação suficiente e, por isso, o Conselho de Psicologia proíbe os atendimentos. Além disso, geralmente as mães, quando há atendimento, levam todos os filhos juntos, o que contribui para aglomerações", conta Andrey. A alternativa tem sido, além do atendimento híbrido, a ajuda dos abrigos parceiros, além das outras instituições de apoio, como a Delegacia da Criança, a Vara da Infância e da Juventude e os Conselhos Tutelares. "Quando há necessidade de um atendimento com urgência, deslocamos um psicólogo para fazer o atendimento in loco", diz.

O instituto não cobra nada dos atendidos. Como principais atividades, desenvolve contação de histórias, exibição de filmes, debates, biblioteca itinerante, oficinas de desenhos, workshops de artesanato, cursos de formação EAD, entre outras. A equipe multidisciplinar é engajada e honra a missão do instituto: ressignificar a vida de crianças, adolescentes e mulheres (inclusive trans) vítimas de abusos sexuais e maus tratos, reduzindo-lhes ou eliminando os traumas por meio da arte, da cultura e dos atendimentos jurídicos e psicológicos gratuitos. O instituto ainda promove o acesso à cidadania e aos direitos humanos, sobretudo por meio de assistência às famílias dos atendidos e por meio de doações de cestas básicas, produtos de higiene pessoal, entre outros.

O Chamaeleon não recebe auxílio do governo e, por isso, conta com a ajuda dos parceiros, que podem ser pessoas físicas ou jurídicas. As empresas parceiras recebem, inclusive, um selo de Empresa do Bem. Saiba como se tornar um parceiro enviando um e-mail para chamaeleon@chamaeleon.org.br ou institutochamaeleon@gmail.com.

Serviço:
Instituto Chamaeleon

CLSW 105 bloco C sala 153 - Edifício Diana Mall Business – Sudoeste
www.chamaeleon.org.br
Chamaeleon@chamaeleon.org.br ou institutochamaeleon@gmail.com
Instagram @institutochamaeleon / Facebook Instituto Chamaeleon
Dados bancários: Banco 237 (Bradesco), agência 2918-1, conta corrente 7606-6

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem