Governo acelera obras em sete UPAs

Obra da UPA de Ceilândia está em ritmo acelerado, com 78% de serviços executados
Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

“Estamos trabalhando para que todas as UPAs sejam entregues o mais rápido possível, desafogando os hospitais públicos e permitindo aumentar a qualidade do atendimento, conforme determinação do governador Ibaneis Rocha” Marcelo Barbosa, presidente-interino do Iges


O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) liberou R$ 3,5 milhões nesta semana para acelerar as obras de construção de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que estão sendo erguidas em sete regiões administrativas.


Termo de compromisso com essa finalidade foi celebrado na quarta-feira (10)  entre a Secretaria de Saúde do DF e o Instituto. O documento estabelece que o Iges administra as construções e providencia toda a mobília e instalação de equipamentos necessários para atender a população.


“Estamos trabalhando para que todas as UPAs sejam entregues o mais rápido possível, desafogando os hospitais públicos e permitindo aumentar a qualidade do atendimento, conforme determinação do governador Ibaneis Rocha”, disse o presidente-interino do Iges-DF, Marcelo Barbosa.

 

4,5 mil Pessoas serão atendidas, mensalmente, em cada UPA


Urgência e emergência


Cada UPA foi projetada para atender 4,5 mil pessoas por mês, possui dois leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), seis leitos de observação com suporte ventilatório e três consultórios. O local vai oferecer ainda exames laboratoriais de urgência e raios X.


O custo estimado das novas UPAs, incluindo equipamentos, é de pouco mais de R$ 46 milhões. De acordo com relatório da Diretoria de Administração e Logística do Iges-DF, o instituto já tinha pago aproximadamente R$ 13 milhões do total estimado.



Atualmente, a rede pública de saúde conta com seis UPAs, que funcionam em regime de 24 horas e são administradas pelo Iges desde 2019. Elas ficam nas seguintes regiões administrativas: Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho.



*Com informações do Iges-DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem