Bolívia se prepara para o segundo turno das eleições regionais

O segundo turno das eleições regionais na Bolívia está em sua reta final e os partidos realizaram seus últimos atos de campanha para o pleito marcado para este domingo (11). As autoridades eleitorais do país anunciaram que estão nos preparativos para o dia de votação e que esperam divulgar os resultados no tempo "mais breve possível".

O presidente do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) da Bolívia, Salvador Romero, disse, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (7), que o prazo para a entrega dos resultados do cálculo final das eleições é uma semana após o dia da votação, mas que espera tê-los "o mais breve possível".

:: Bolívia: Movimento ao Socialismo vence em 3 estados e vai ao 2º turno em 4 regiões ::

Nos departamentos de Chuquisaca, La Paz, Tarija e Pando, a eleição dos novos governadores ocorre em 11 de abril, após nenhum dos candidatos obter a maioria dos votos ou uma vantagem de 10 pontos sobre seus rivais imediatos no primeiro turno, realizado em 7 de março.

Todo o material necessário para as eleições regionais já começou a ser distribuído pelo país e parte do que foi usado no primeiro turno está sendo reutilizado. De acordo com Romero, a montagem das malas eleitorais também foi concluída.

Nesta quarta-feira (7), também finaliza a fase de propaganda eleitoral das chapas em disputa e, a partir desta quinta-feira (8), entra em vigor o "silêncio eleitoral", no qual a população entrará em uma "reflexão" para definir seu voto no domingo (11 de abril), acrescentou Romero.

Em Chuquisaca, os candidatos a governador Damian Condori (Chuquisaca Somos Todos) e Juan Carlos Leon (MAS), que estão na disputa, realizam seus últimos atos de campanha nesta quarta-feira. Os dois decidiram encerrar suas campanhas com comícios massivos, ao mesmo tempo e no último dia em que as atividades de campanha são permitidas. Finalizações de campanha similares também estão marcadas em outros departamentos bolivianos.

:: Presos políticos após golpe na Bolívia relatam violências, arbitrariedades e traumas ::

Na coletiva de imprensa, o presidente do TSE indicou que observadores eleitorais de organizações internacionais, incluindo a Organização dos Estados Americanos (OEA), implantarão suas missões de observação nos departamentos em que ocorre o segundo turno: "As missões internacionais de observação têm total autonomia para definir os locais e as modalidades em que implantarão seus observadores. Também temos a presença e a implantação de plataformas de observação local", sinalizou.

*Matéria publicada originalmente na teleSUR.



Fonte: Brasil de Fato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem