Em nota, Fiocruz recomenda manutenção de medidas restritivas no Rio de Janeiro

Em nota técnica divulgada nesta quinta-feira (8), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que ainda não é possível avaliar o impacto das medidas restritivas no município do Rio de Janeiro e que as restrições para conter o avanço da pandemia devem ser mantidas pelos próximos dias. 

Os pesquisadores do Observatório Covid-19 Fiocruz, responsáveis pela divulgação da nota técnica Indicadores de Covid-19 e distanciamento social na cidade do Rio de Janeiro, ressaltam que o efeito positivo do distanciamento social só pode ser observado após no mínimo 14 dias de adoção das medidas e com adesão da população. 

Leia maisAdultos de 30 a 59 anos concentram novos casos de covid e mudam perfil dos internados

Segundo eles, ainda é cedo para se propor qualquer medida de flexibilização. Pelo contrário, os indicadores mostram que é fundamental intensificar a fiscalização nas áreas de lazer e praias - prorrogando a restrição em sua forma mais rígida - , assim como realizar o controle efetivo de entrada de pessoas em farmácias, mercearias e supermercados. Essas medidas devem ser aliadas ao aumento de aceleração da vacinação no município. 

A nota destaca ainda que é essencial que essas ações sejam adotadas por toda a região metropolitana, que compreende 21 municípios do estado do Rio de Janeiro. “Podemos afirmar que o esforço isolado do município do Rio de Janeiro pode não resultar nos efeitos esperados para a redução das taxas de ocupação de leitos, bem como para reduzir a circulação do vírus, que não conhece fronteiras administrativas”, alertam os pesquisadores. 

Leia mais: Estado do Rio contabiliza 242 novas mortes por covid em 24 horas

A capital fluminense concentra o maior número de mortes por covid-19 do estado do Rio. Desde o início da pandemia até a última quarta-feira (7), o município registrou um total de 21.292 óbitos. Segundo o Painel Coronavírus da Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES), a cidade acumula 233.424 casos da doença.



Fonte: Brasil de Fato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem