Brasília será sede dos Jogos Universitários Brasileiros em outubro

A maior competição universitária da América Latina – os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) – foi lançada nesta quinta-feira (27), no Palácio do Buriti, na presença de atletas nacionais e brasilienses, amantes do esporte e autoridades federais e distritais. A 68ª edição do evento está marcada para o período entre 10 e 18 de outubro, em Brasília, com o apoio integral do Governo do Distrito Federal (GDF), respeitando todos os protocolos sanitários devido ao período de pandemia.

Confira o vídeo da cerimônia:

Ex-atletas medalhistas olímpicos e também dos jogos mundiais universitários, conhecidos no cenário nacional, como Maurren Maggi, Daiane do Santos e Felipe Wu, participaram do evento como embaixadores do JUBs 2021. Após a execução do Hino Nacional Brasileiro, foi realizada a apresentação do vídeo de lançamento dos JUBs Brasília 2021 executada por Lucas Pontes, diretor de Marketing e Comunicação da Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU) – entidade máxima responsável pela administração do desporto universitário no Brasil. Segundo ele, o início dos trabalhos começou há três meses, quando a caravana “do esporte e da educação” percorreu todo o Nordeste, onde foram desenvolvidas várias ações, até chegar à capital federal.

“Brasília será a capital do esporte. O esporte é educação, pois tira as pessoas do mau caminho” Paco Britto, vice-governador do DF

Os números desta edição impressionam. São mais de 16 mil bolsas de estudo entregues aos universitários, dentre as quase 900 instituições de ensino superior do país que participarão dos jogos. Além disso, são 25 modalidades esportivas, incluindo o paradesporto e jogos eletrônicos. Para se ter uma ideia da dimensão desse evento esportivo, em 2019, a 67ª edição reuniu mais de sete mil participantes de todo o país. Neste ano, são esperados por volta de 4,5 mil estudantes atletas.

Nas presenças do ministro da Cidadania, João Roma, e do vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, representando o governador Ibaneis Rocha, os embaixadores foram unânimes ao pedir apoio ao esporte e à educação no país. Paco Britto falou sobre a magnitude do evento, que movimenta o turismo, a rede hoteleira, o setor de alimentação e a economia em geral. “Por orientação e determinação do nosso maestro Ibaneis, Brasília será a capital do esporte. O esporte é educação, pois tira as pessoas do mau caminho”, disse, reforçando ainda que “faz girar a economia”.

As modalidades convencionais estão divididas em atletismo, badminton, basquetebol, futsal, handebol, judô, caratê, wrestling, natação, taekwondo, tênis de quadra, tênis de mesa, voleibol e xadrez. Destaque para a competição acadêmica, que avalia a produção de conteúdo científico dos alunos. No paradesporto são atletismo, badminton, natação e tênis de mesa. E algumas franquias de esportes completam a lista: Free Fire, League of Legends, Fifa 2021, CS GO, Clash Royale e Poker.

v
“Estou amando esta experiência nova, como embaixadora. Espero que seja também a melhor experiência para todos os atletas”, afirmou Maureen Maggi, medalhista de ouro nas Olimpíadas de Pequim, em 2008 | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Para o ministro João Roma, o espírito olímpico permite muitos valores, como a solidariedade, a superação e a cooperação. “É tudo isso que precisamos abraçar diante do enfrentamento à pandemia”, lembrando que faltam menos de dois meses para a Olímpiada de Tóquio, no Japão.

O presidente da CBDU, Luciano Cabral, fez questão de enaltecer a acolhida do governador Ibaneis Rocha. “Fomos muito bem recebidos pelo governador. A cidade tecnicamente tem toda a infraestrutura para receber o JUBs ou qualquer evento”, opinou. “Estou amando esta experiência nova [como embaixadora]. Espero que seja também a melhor experiência [dos jogos] para todos os atletas”, frisou a ex-atleta saltadora e velocista, medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008), Maurren Maggi.

Também presente ao evento, a secretária de Esporte do Distrito Federal, Giselle Ferreira, dirigindo-se ao ministro, agradeceu, sob sua gestão, a iniciativa da ampliação do Bolsa-Atleta, que foi criado em 2005, para oferecer ajuda de custo aos esportistas de alto rendimento com bons resultados em competições nacionais e internacionais. Neste ano, o governo federal deverá contemplar mais de sete mil atletas com ajuda de custo.

Haverá testes para detecção do novo coronavírus, distribuição de álcool gel e máscaras de proteção, além de aferição de temperatura e da obrigatoriedade de manter o distanciamento social. Todas as partidas serão realizadas sem a presença de público, com transmissão virtual

“Nós não temos o Cristo, mas vamos receber todos vocês com os braços abertos”, valorizou Giselle. Segundo ela, com os JUBs, na capital, serão investidos R$ 12 milhões na economia local. Em sua opinião, o esporte faz com que as pessoas busquem mais saúde. “Brasília é uma academia a céu aberto”, completou. A expectativa é que, durante os nove dias de competição, esses valores sejam injetados na economia local, entre hospedagem, transporte, alimentação, comunicação e gastos pessoais de atletas e delegações.

Academia de Artes Marciais do Palácio do Buriti

O secretário de Economia, André Clemente, colocou à disposição dos atletas a Academia de Artes Marciais do Palácio do Buriti. Com aulas de artes marciais e treinamento funcional totalmente gratuitas, ministradas por profissionais de renome da área, a academia retomou as atividades em janeiro deste ano. Inaugurado em 13 de agosto de 2020, o projeto da Secretaria de Economia foi pensado para incentivar a prática de atividades físicas e cuidar da saúde mental dos servidores do Distrito Federal em tempos de pandemia.

Por falar nisso, durante os JUBs haverá testes para detecção do novo coronavírus, distribuição de álcool gel e máscaras de proteção, além de aferição de temperatura e da obrigatoriedade de manter o distanciamento social. Todas as partidas serão realizadas sem a presença de público, com transmissão virtual.

Prestigiaram o evento deputados federais e distritais; secretários distritais; o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães; o diretor-geral do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) Rogério Sampaio; reitor e dirigentes de universidade; e presidentes de entidades, entre outras autoridades das áreas esportivas e da educação.

Um pouco sobre os JUBs

O objetivo geral do evento foi lançar Brasília como sede dos Jogos Universitários Brasileiros, trazendo inspiração para as crianças e jovens e um estímulo aos jovens atletas universitários de todo o Brasil.

Desde 2018, todas as competições do calendário CBDU recebem o nome de JUBs, que, juntas, formam a temporada anual. O evento está planejado para ocorrer, em Brasília, entre os dias 10 e 18 de outubro. A última vez que o DF recebeu este evento, que tem nove dias de competição, foi em 2006.

Durante os 80 anos da CBDU, grandes nomes do esporte deixaram sua marca, como Bernardinho, Daniele Hypólito, Fernando Scherer e Arthur Zanetti, entre outros. A CBDU busca trabalhar em parceria com as 27 Federações Universitárias Estaduais (FUEs).

 

*Com informações da Casa Civil e da Secretaria de Esporte e Lazer



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem