Ei, você: não estacione em local proibido!

| Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Imagine a situação: um incêndio atinge um apartamento localizado no quarto andar de um prédio residencial. Notificado, o Corpo de Bombeiros envia uma unidade de emergência para o local, porém, o veículo não consegue chegar com agilidade até a entrada do edifício. O motivo? Um carro estacionado em local proibido. Para evitar esse tipo de cenário, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) realizou uma ação educativa para coibir a situação irregular.

Além da conscientização, outro objetivo da ação foi reforçar a questão da fluidez nas vias 
 Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília
94.603 Infrações relacionadas a estacionamento irregular foram aplicadas em 2020 no DF

Entre janeiro e abril deste ano, foram registradas 34.549 ocorrências relacionadas a estacionamento irregular, um aumento de 4,5% se comparado ao mesmo período do ano passado (33.044). Durante todo o ano de 2020, o Detran-DF, a Polícia Militar do DF (PMDF) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF) foram 94.603 veículos.

Para chamar a atenção dos motoristas sobre a importância de não parar os carros em locais proibidos, os agentes do Detran-DF contaram com o reforço de um caminhão do Corpo de Bombeiros do DF e, juntos, circularam por ruas de Águas Claras conscientizando a população. O panfleto da campanha imita um auto de infração e, no verso, traz os dizeres: “o susto vai passar, mas a lição tem de ficar!”.

“Quando você educa, você humaniza” Zélio Maia, diretor-geral do Detran-DF

Além da conscientização, outro objetivo da ação foi reforçar a questão da fluidez nas vias, como explica o diretor de Educação de Trânsito do Detran-DF, Marcelo Granja.

“Queremos mostrar que a circulação livre depende da observância e respeito às placas de sinalização. Se há um bloqueio, perde-se a mobilidade, a circulação planejada e também se provoca prejuízos a situações de emergência, como a passagem de viaturas dos Bombeiros e da Polícia”, ressalta.

Maria Marleide lamenta o fato de que muitas pessoas só aprendem quando acontece algo ruim| Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

O diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, reforça a importância das ações de conscientização no processo de fiscalização feito pelos agentes nas ruas do DF: “Quando você educa, você humaniza. A multa não é alheia ao processo educativo, vem como consequência de uma educação que não foi respeitada. Ao invés de só fiscalizarmos, vamos primeiro educar e, aqueles que insistirem em desrespeitar a legislação, obviamente serão multados”.

Moradora da Rua 21 Norte, a servidora pública aposentada Maria Marleide Procópio, 58 anos, conta que já testemunhou uma situação em que um caminhão do Corpo de Bombeiros teve dificuldade no acesso à sua rua e aprova a ação realizada pelo Detran-DF.

“Mesmo com as placas de proibido estacionar, as pessoas insistem em parar aqui. Achei muito importante, até peguei um folheto pra me informar mais. Infelizmente muitas pessoas só aprendem quando acontece alguma coisa ruim”, finaliza.

* Com informações do Detran-DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem