Após 16 anos, monumentos de Samambaia são reformados

A 22 quilômetros do Plano Piloto – referência em monumentos tombados como Patrimônio Cultural da Humanidade – Samambaia também também tem sua galeria de arte a céu aberto. Para valorizar as estruturas que contam a história da cidade, a administração regional vai reformar oito obras de arte – em parceria com artistas plásticos e empresários. Criadas a partir de 2005 (com exceção da construção “Casinhas de Boneca”, dos anos de 1960), elas vão passar por uma série de reparos.

A obra “Lugar ao Sol”, de Elton Skartazini, foi criada em 2005 dando início ao projeto Monumentos para Samambaia | Fotos: Divulgação

As estruturas fazem parte do projeto Monumentos para Samambaia – criado em 2005 pelo mestre em educação, Clayton Braga, e o artista plástico e pioneiro da cidade, Elton Skartazini.

Autor do primeiro monumento, Lugar ao Sol – localizado no balão da Avenida Central – , Skartazini explica que a obra de arte é composta por três casas coloridas: amarelo, azul e vermelho. As residências homenageiam a população recém-chegada em Samambaia.

“A ideia era dar um presente de aniversário de 16 anos para a cidade. Quase que a cada ano, fazíamos um monumento. Cada um deles tem um significado para Samambaia”, lembra o artista plástico. “Como eu ainda não tinha muita experiência, utilizei materiais que não eram tão resistentes. Agora estamos usando materiais que vão durar 200 anos”, garante o artista plástico.

Para Elton Skartazini, além do GDF prestigiar um projeto cultural da cidade, a reforma também motiva outros artistas da cidade. “O governo local está reconhecendo a importância dessas obras, que são públicas, da comunidade. Nossa intenção também é incentivar aqueles que têm vontade de criar novos monumentos”, adianta.

Identidade

O professor Clayton Braga destaca que as estruturas passaram a ser a identidade da cidade. “A reforma incentiva os moradores a conhecerem a história do lugar onde moram. Os monumentos precisam e merecem essas reformas depois de tantos anos”, ressalta.

“Cada canto da cidade conta uma história. Desde pequeno acompanhei o desenvolvimento de Samambaia e esses monumentos são motivo de orgulho para os moradores”, destaca o administrador da região, Gustavo Aires. “Reformar essas estruturas é uma forma de honrar essas memórias”, completa.

As “Casinhas de Boneca” foram criadas na década de 1960 e incorporadas ao projeto Monumento para Samambaia

Conheça os monumentos de Samambaia:

– Lugar ao sol, 2005: localizado no balão da segunda Avenida Norte e Central, é uma homenagem à população recém-chegada na cidade;
– Luz do Saber, 2007: localizado no balão da primeira Avenida Norte e Central, representa a importância do conhecimento;
– Transparência, 2009: localizado no balão da segunda Avenida Sul e Central, faz referência ao fórum de Samambaia.
– Encontro, 2010: localizado no balão da primeira Avenida Sul e Central, tem esse nome por estar no centro urbano da cidade;
– Figuras do Agreste, 2021: localizado na Avenida Leste, próximo ao viaduto do Recanto das Emas, é uma parceria com o artista plástico Ramon Rocha. O monumento faz referência às pessoas que vieram do nordeste;
– Três Meninas, 2005: localizado no balão da Avenida Leste e Norte, em frente ao Hospital Regional de Samambaia, a obra de arte é do artista Lia Samara e faz referência à obra Casinha de Bonecas;
– Asas da Imaginação, 2006: localizado na entrada da expansão da região, a estrutura foi feita pelo artista Lia Samara e é uma forma das pessoas refletirem por meio da imaginação e
– Casinhas de Boneca, 2011: localizado no Parque Três Meninas, é uma homenagem que o pioneiro Inezil Penna Marinho fez às suas filhas ao dar o nome de Três Meninas ao local.



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem