Começa nesta 2ª campanha nacional pela doação de sangue

Okumoto: "É muito importante que todos tenham a consciência de que vamos precisar da solidariedade e da vontade de salvar vidas" | Foto: Breno Esaki/ Agência Saúde-DF

O Dia Mundial do Doador de Sangue é comemorado anualmente no dia 14 de junho. Para celebrar a data, o Ministério da Saúde lançou hoje a campanha Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa, que tem por objetivo incentivar esse gesto solidário que salva vidas e aumentar as doações de sangue nos 107 hemocentros distribuídos em todo o país.

Okumoto: “É muito importante que todos tenham a consciência de que vamos precisar da solidariedade e da vontade de salvar vidas” | Foto: Breno Esaki/ Agência Saúde-DF

O secretário de saúde, Osnei Okumoto, participou do evento realizado na manhã desta segunda-feira (14). Na ocasião, o gestor representou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e falou sobre a importância da doação de sangue neste momento de pandemia e no pós-pandemia para atender a demanda, por exemplo, da retomada de cirurgias eletivas. “É muito importante que todos tenham a consciência de que vamos precisar da solidariedade e da vontade de salvar vidas”, disse.

DOE SANGUE REGULARMENTE. Com a nossa união, a vida se completa

O secretário parabenizou o órgão federal pela campanha e também os doadores, a quem chamou de heróis. “Muitos se deslocam de lugares distantes para fazer a doação. No Distrito Federal, recebemos pessoas de Goiás para doar aqui”, ressaltou.

O Ministério da Saúde investiu, em 2021, R$ 1,6 bilhão na Rede Nacional de Serviços de Hematologia e Hemoterapia. Em 2020, os recursos para a rede somaram R$ 1,8 bilhão.

Em sua fala, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, chamou a atenção para a necessidade de as pessoas doarem sangue regularmente. “Vamos nos unir para manter nossos bancos de sangue com reserva suficiente para atender a população brasileira. Essa campanha nacional torna visível esse ato de solidariedade e de amor que é o ato de doar sangue”, completou.

De acordo com dados da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, do ministério, cada doação ajuda a salvar até quatro vidas.

Queda

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, são realizadas, em média, cerca de três milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Porém, em virtude da pandemia, em 2020, o registro caiu para 2,95 milhões, uma queda de aproximadamente 10%.

Mesmo com a redução, o órgão informou que não houve desabastecimento de sangue no Brasil e que foram remanejadas bolsas entre os estados para evitar escassez.

Doação segura

O Ministério da Saúde reforça que foram adotadas diversas medidas visando manter a segurança dos doadores durante a pandemia. Dentre elas, foi adotado o agendamento prévio para evitar aglomerações.

Quem já vacinou contra a covid-19 pode doar sangue respeitando o período de acordo com o imunizante recebido. No caso da Coronavac, é preciso esperar 48 horas para doar. Já quem tomou AstraZeneca, Pfizer ou Janssen pode doar após sete dias.

Campanha

A campanha vai ao ar entre 14 de junho e 7 de julho. As peças publicitárias serão veiculadas em diversas mídias para conscientizar a população sobre a importância de doar sangue e ajudar a manter os estoques abastecidos.

Como doar sangue no DF?

Acesse a página da Fundação Hemocentro de Brasília e saiba mais informações sobre como se tornar um doador e ajudar a salvar vidas.

* Com informações da Secretaria de Saúde



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem