Museu Itinerante de Drogas da Polícia Civil está na Estrutural

Durante a semana de lançamento da Área de Segurança Prioritária (ASP), os moradores da Cidade Estrutural poderão visitar o Museu Itinerante da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). As visitas, que são guiadas pelos policiais, têm duração média de dez minutos. Por conta dos protocolos de segurança sanitária, somente será permitida a entrada de até dez pessoas por vez. O ônibus estará no estacionamento da Administração Regional da Estrutural.

As visitas ao museu itinerante podem ser feitas das 9h às 13h, deverão ser respeitadas as medidas de distanciamento social | Foto: Divulgação / SSP/DF

A atração integra também a 23ª Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, promovida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Desde o início do mês, a Operação Narco Brasil, é realizada nos estados e no Distrito Federal, num esforço concentrado para apreensão de drogas no país.

No DF, a Subsecretaria de Operações Integradas (SOPI), da Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP/DF), coordena a ação  junto às polícias Civil do DF (PCDF) e Militar (PMDF). O marco da ação nos estados está marcado para os próximos dias 24 e 25 de junho.

“O trabalho realizado pela PCDF por meio do Museu de Drogas é essencial para mostrar aos nossos jovens os efeitos causados com o uso de entorpecentes. Poder contar com essa atração na ASP, durante a Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, tem um efeito muito simbólico no combate ao tráfico e uso de drogas no Distrito Federal.

Esta é também uma pauta prioritária da Segurança Pública local, pois a redução dessa prática criminosa incide diretamente na redução de outros crimes”, avalia o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo.

Distanciamento

Para as visitas ao museu itinerante, que poderão ser feitas das 9h às 13h, deverão ser respeitadas as medidas de distanciamento social. “Além disso, o público deverá utilizar máscara e álcool em gel nas mãos e respeitar todas as medidas para resguardar a  população e nossos policiais”, enfatiza o chefe do Centro Piloto de Educação e Prevenção ao Uso de Drogas (CEPUD), Wesley Bomfim.

O efeito de cada droga no corpo humano será explicado durante a visita, que é indicada para maiores de 12 anos. “Apontamos os riscos e consequências de substâncias e a consequência de escolhas como essa. Por isso não indicamos a visita para crianças menores, pois a linguagem é direcionada, de fato. Explicamos aos visitantes o que são fatores de proteção e de risco e seus respectivos contextos individuais, familiares e sociais, mostrando que todos nós somos responsáveis pela prevenção ao uso de drogas”, completa Bomfim.

O museu integra a Escola Superior da Polícia Civil (ESPC), localizada no Riacho Fundo II. Devido à pandemia, os agendamentos para escolas estão suspensos.

Mais sobre o Museu

Criado há vinte anos, o Museu integra a estrutura do Centro Piloto de Educação e Prevenção ao Uso de Drogas e Violências, da ESPC. Alinhada às Diretrizes Internacionais sobre a Prevenção do uso de Drogas, a PCDF trabalha com o objetivo de aumentar os fatores de proteção e diminuir os fatores de risco, a fim de evitar ou retardar o início do uso de drogas.

Após mudanças, o Museu Itinerante de Drogas apresenta um novo visual que oferece à comunidade uma visitação autoinstrucional, com expositores de drogas lícitas e ilícitas, e suas respectivas classificações – em drogas depressoras, estimulantes e perturbadoras.

Outro atrativo é a possibilidade do visitante acessar o site do Museu de Drogas por meio dos QRcode e obter as informações sobre drogas, visitações e ajuda ao dependente químico e seus familiares. A acessibilidade garante a visitação segura aos visitantes com necessidades especiais.

*Com informações da SSP/DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem