Programa reforça ações voltadas à saúde feminina

“Vamos começar com ações itinerantes, fortalecendo os serviços oferecidos pela rede pública de saúde” Ericka Filippelli, secretária da Mulher

Com objetivo de unir ações que fortaleçam os cuidados voltados à saúde das mulheres, além de implementar políticas públicas pensadas para a promoção da saúde desse segmento, a Secretaria da Mulher (SM) e a Secretaria de Saúde (SES) assinaram, nesta segunda (14), a portaria conjunta que instituiu o Programa Cuide-se!, totalmente dedicado à causa feminina.

Secretária da Mulher, Ericka Filippelli, assina a portaria de criação do programa | Foto: Divulgação/Secretaria da Mulher

Na prática, o projeto propõe a institucionalização de ações integradas e direcionadas para garantir que todas as mulheres do Distrito Federal tenham acesso aos serviços de prevenção e ao atendimento especializado, mais eficiente e humanizado, na rede pública de saúde.

A secretária da Mulher, Ericka Filipelli, explica: “Vamos começar com ações itinerantes, fortalecendo os serviços oferecidos pela rede pública de saúde, estabelecendo fluxos de atendimento nas unidades básicas de saúde [UBSs] e o caminho para que essa mulher chegue aos serviços especializados. Em breve, vamos anunciar parcerias com entidades não governamentais e parcerias privadas que vão fortalecer a promoção da saúde das mulheres do DF.”

“É uma parceria que só tem a engrandecer o serviço prestado à mulher” Raquel Beviláqua, secretária adjunta de Assistência à Saúde

A iniciativa estabelece estratégias de cuidados voltados à saúde integral da mulher, o que implica atenção voltada aos âmbitos físico e mental. Além disso, o Cuide-se! prevê a ampliação do acesso aos serviços de promoção, prevenção, assistência e recuperação da saúde das mulheres em todas as etapas da vida.

“Esta portaria conjunta vai fortalecer a linha de cuidados da saúde da mulher, que começará com o atendimento na unidade básica de saúde, com atendimento ginecológico, pré-natal e exames ginecológicos, oferecidos por equipe multidisciplinar”, complementa a secretária adjunta de Assistência à Saúde, Raquel Beviláqua. “É uma parceria que só tem a engrandecer o serviço prestado à mulher.”

Cuidado e prevenção

O nome do programa é também um apelo para que as mulheres, literalmente, se cuidem. Para tanto, o acordo entre as pastas prevê o fortalecimento da linha de cuidado da mulher, que orienta a usuária sobre como e onde ser atendida para garantir a plenitude da sua saúde física e mental.

Assim, pelo Cuide-se!, ficam estabelecidos os fluxos para incentivar as mulheres a buscarem os serviços de prevenção, vacinação, acompanhamento multiprofissional e atendimento pré e pós-parto, entre outros, nas UBSs mais próximas de suas casas.

Esta é a porta de entrada para a rede de assistência à saúde; e, caso haja necessidade, elas serão encaminhadas a ambulatórios específicos, como o Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu), e aos atendimentos hospitalares de alta e média complexidade, além das emergências.

Haverá palestras, atendimentos preventivos e exames em ações itinerantes feitos na Unidade Móvel da Secretaria da Mulher, com parceiros governamentais e não governamentais, garantindo o direito da promoção da saúde também às mulheres que moram em regiões mais afastadas do Entorno e também na área rural.

Ações planejadas

“Vamos trabalhar a abordagem da saúde da mulher no âmbito das políticas públicas com o planejamento de um conjunto de ações, norteadas pela perspectiva de gênero, de raça e de etnia, para alcançar todos os aspectos de saúde da mulher e suas especificidades”, reforça a subsecretária de Promoção das Mulheres, Fernanda Falcomer. “Também vamos considerar aspectos que englobam as questões psicológicas, sociais, biológicas, sexuais, ambientais e culturais.”

Além de Ericka Filippelli, Raquel Beviláqua e Fernanda Falcomer, participaram da cerimônia de assinatura do programa o diretor regional do Sesc-DF, Moisés Brandão; a gerente do Centro Especializado de Saúde da Mulher (Clínica da Mulher), Séfora Hamada; a presidente do Instituto Arquirealiza, Arquilene Mota, e representantes da diretoria da Liga Acadêmica de Saúde da Mulher do DF.

*Com informações da Secretaria da Mulher



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem