Rede pública conta com serviços para a saúde mental

A Secretaria de Saúde (SES) tem diversos serviços que atendem urgências em saúde mental na população. O atendimento abrange casos como intoxicação aguda ou abstinência de álcool ou outras drogas, crises de ansiedade, psicoses, agitação psicomotora, tentativas de suicídio e reações a eventos traumáticos, entre outros.

Ao todo, são 122 leitos para internação psiquiátrica nas unidades que ofertam esse atendimento

“O paciente que precisar de atendimento pela rede de urgência e emergência em saúde mental pode procurar o hospital de sua região de referência ou uma Unidade de Pronto Atendimento [UPA], pois qualquer uma dessas unidades realiza a avaliação clínica”, orienta a diretora de Serviços de Saúde Mental da SES, Vanessa Soublin.

Unidade de atendimento será determinada conforme o quadro apresentado pelo paciente | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Abordagem e encaminhamento

Após a abordagem inicial, se for indicada internação, a pessoa é encaminhada para unidades de saúde como Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Hospital de Base (HB), Hospital Universitário de Brasília (HUB) ou Hospital da Criança de Brasília (HCB). A definição da unidade que atenderá o paciente depende das demandas de saúde apresentadas e de critérios já estabelecidos.

Esses hospitais contam com um total de 122 leitos para internação psiquiátrica, sendo 83 no HSVP, 36 no HBDF, dois no HCB e um no HUB. O HSVP possui ainda um pronto-socorro que funciona 24h para atendimento psiquiátrico de adultos. “Só direcionamos o paciente para o Hospital São Vicente de Paulo se possíveis causas orgânicas ou comorbidades graves com os transtornos mentais forem descartadas”, alerta Vanessa Soublin.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) conta com o Núcleo de Saúde Mental, que funciona diariamente com equipe multidisciplinar e atua com intervenções em crises agudas nos locais das ocorrências, bem como no encaminhamento aos serviços de saúde da rede quando necessário. Esse serviço deve ser acionado por telefone nos casos em que a pessoa esteja colocando em risco sua vida ou a de outras pessoas.

*Com informações da Secretaria de Saúde



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem