Saúde faz 5.438 procedimentos em um mês de retomada de cirurgias eletivas

Os números apresentados por cada região de saúde comprovam que o quantitativo de cirurgias foi bem alto no período de 4 de maio a 4 de junho de 2021  | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

A retomada das cirurgias eletivas que não necessitam da reserva de leito de UTI pós-cirúrgico foi autorizada pela Secretaria de Saúde desde 4 de maio de 2021 e em um mês de serviço normalizado foram realizadas um total de 5.438 cirurgias de pequeno e médio porte. Deste total, 2.496 ocorreram nos centros obstétricos (CO) e 2.942 em centros cirúrgicos (CC) de toda a rede.

A região Norte, responsável pelos hospitais regionais de Sobradinho e Planaltina, realizou 655 procedimentos. Já a região Sul, que possui os dados somente do Hospital Regional do Gama, fez 450 cirurgias. A região Leste foi responsável por realizar 544 cirurgias no HRL (antigo hospital do Paranoá)

Segundo a secretária adjunta de Assistência à Saúde, Raquel Beviláqua, o que mais colaborou para a retomada das cirurgias eletivas foi a abertura dos 300 Leitos de Suporte Pulmonar Ventilatório dos hospitais de campanha do Gama, de Ceilândia e do Autódromo de Brasília.

“Com a mudança do cenário foi possível retornar com as cirurgias de pequeno e médio porte, como cirurgias de vesícula, hérnia, algumas cirurgias ginecológicas e ortopédicas. Foi um volume bem grande de procedimentos cirúrgicos realizados em apenas um mês”, explica.

Os números apresentados por cada região de saúde comprovam que o quantitativo de cirurgias foi bem alto no período de 4 de maio a 4 de junho de 2021. A região de Saúde Oeste, responsável pelos hospitais regionais de Ceilândia e Brazlândia, realizou 1.005 cirurgias. A região Sudoeste fez 921 procedimentos cirúrgicos, que compreende os hospitais de Taguatinga e Samambaia.

A região Norte, responsável pelos hospitais regionais de Sobradinho e Planaltina, realizou 655 procedimentos. Já a região Sul, que possui os dados somente do Hospital Regional do Gama, fez 450 cirurgias. A região Leste foi responsável por realizar 544 cirurgias no HRL (antigo hospital do Paranoá).

Já a região Central, responsável pelo Hospital Regional da Asa Norte, realizou 261 procedimentos cirúrgicos. O Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) fez 806 cirurgias. Geridos pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), o Hospital de Base realizou 796 procedimentos cirúrgicos no período e os dados referentes ao período não foram repassados pelo Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

Raquel frisa que são procedimentos que não necessitam de leitos de retaguarda de UTI e destaca também que o abastecimento de insumos também colabora para que as cirurgias eletivas não fiquem suspensas. Além disso, os estoques são seguros para atender tanto pacientes com covid como pacientes não covid.

“A rede está abastecida conforme planejamento para garantirmos os insumos necessários para as cirurgias eletivas. Eventuais materiais que estamos tendo dificuldade de aquisição no mercado, temos abastecido com um substituto, garantindo assim a adequada prestação do serviço, explica a subsecretária de Logística, Rogéria Romanholo.

* Com informações da Secretaria de Saúde



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem