APA Gama e Cabeça de Veado terá 30 km de aceiros negros

“Este trabalho preventivo consiste na retirada do material combustível (vegetação seca), criando faixas de segurança entre os espaços de preservação e seus acessos. Isso impede que o fogo chegue ou se alastre” Sarney Filho, secretário de Meio Ambiente

O Governo do Distrito Federal está intensificando as ações de prevenção a incêndios florestais antes que chegue o período crítico da seca. De 12 a 14 a julho, cerca de 30 km de aceiros negros serão abertos na Área de Proteção Ambiental (APA) Gama e Cabeça de Veado, nas proximidades da DF-001, por meio de roçagem e queima de mato seco. A ação integra as medidas previstas no Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Ppcif), coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema).

“Este tipo de trabalho preventivo consiste na retirada do material combustível que, no caso, é a vegetação seca, criando faixas de segurança entre esses espaços de preservação e seus acessos. Isso impede que o fogo chegue ou se alastre”, afirma o secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho.

A APA Gama e Cabeça de Veado envolve Unidades de Conservação (UCs) como o Jardim Botânico de Brasília (JBB), a Fazenda Água Limpa (FAL) da Universidade de Brasília (UnB), a Reserva Ecológica do IBGE, áreas da Marinha e parte do Parque Ecológico do Tororó, englobando aproximadamente 25 mil hectares de área preservada.

A coordenadora do Ppcif na Sema, Carolina Schubart, explica que essa ação é realizada todo ano na área devido a sua vulnerabilidade aos incêndios florestais. De acordo com ela, são dois os tipos de aceiros: o mecânico, que utiliza maquinário, e o negro, realizado por meio de roçagem e queima de material.

“Ambos são formas de prevenção aos incêndios florestais. A retirada do material combustível coíbe a possibilidade do fogo se alastrar em uma área de grande relevância. O primeiro utiliza tratores e o segundo, a roçagem e a queima do mato seco nas bordas das unidades”, diz.

Este ano, o Ppcif já realizou ações de prevenção, como a realização de aceiros negros e mecânicos em outras áreas, cursos e capacitações, doação de abafadores para área rural, campanhas educativas de mídia social e atualmente encontra-se em fase de contratação de 150 brigadistas distritais pelo Instituto Brasília Ambiental.

A ação na APA Gama e Cabeça de Veado contará com o apoio de órgãos distritais e federais, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Departamento de Estradas de Rodagens (DER), JBB, Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF), FAL (UnB), Reserva Biológica do IBGE, Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (CIAB) da Marinha, Ala 1 da Aeronáutica, além do Brasília Ambiental.

*Com informações da Secretaria do Meio Ambiente



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem