Aplicativo Vigilância DF será usado para registrar óbitos

Com o objetivo de garantir maior controle e agilidade na notificação e na investigação dos óbitos ocorridos no Distrito Federal, a Subsecretaria de Vigilância à Saúde criou o aplicativo Vigilância DF, em funcionamento desde o dia 21. A ferramenta, que também contribuirá para a qualificação dos dados de mortalidade, foi elaborada pela Gerência de Informação e Análise da Situação de Saúde (Giass) e a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), tendo sido desenvolvida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs).

Aplicativo já está em funcionamento desde o dia 21 | Arte: Divulgação/Agência Saúde

O aplicativo é voltado para os profissionais que atuam nas comissões de revisão de óbitos. Há uma comissão em cada hospital público e privado, bem como nas unidades de pronto atendimento (UPAs) e home care do Distrito Federal. O Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), o Instituto Médico Legal (IML) e médicos que atestam óbitos em domicílio deverão se cadastrar no Vigilância-DF.

“O controle digital também pode vir a resolver problemas de extravio e desaparecimento de declarações de óbito” Ana Godoy, enfermeira da Gerência de Informação e Análise da Situação de Saúde

“No caso de morte em domicílio, o uso será feito pelo médico que atestar o óbito, devendo ele fazer um cadastro individual, caso não esteja atuando por uma instituição com CNES [Cadastro Nacional de Estabelecimentos em Saúde]”, explica a enfermeira Ana Godoy, integrante da Giass. “Caso esteja em uma instituição/estabelecimento de saúde com CNES, cadastre-se vinculado a ela.”

O aplicativo, reforça a enfermeira, representa mais um passo rumo à qualificação de dados de mortalidade, podendo contribuir para a redução de causas básicas de mortalidade maldefinidas. “Tais dados se convertem em indicadores de saúde, e sua qualidade reflete também no planejamento de políticas públicas”, explica. “Além disso, o controle digital também pode vir a resolver problemas de extravio e desaparecimento de declarações de óbito do DF”.

Os dados serão lançados no aplicativo pelos membros das comissões de revisão de óbitos, médicos (individualmente), assim como servidores do SVO e do IML. A Giass também trabalhará na qualificação desses dados, que poderão ser visualizados pelos comitês regionais.

“Estamos transacionando para esse modelo, cadastrando os profissionais”, informa Ana Godoy. “A partir de 1º de agosto, será obrigatória a notificação e investigação de todos os óbitos no Vigilância-DF. Após concluída a investigação de cada caso, a informação será posteriormente registrada no Sistema de Informações sobre Mortalidade [SIM]”.

Como funciona

O Vigilância DF  será utilizado em toda a rede pública e privada. Para ter acesso, basta se cadastrar no site. A Declaração de Óbito será feita exclusivamente pelo aplicativo e terão que ser obrigatoriamente registradas no aplicativo.

Saiba aqui como solicitar a ficha de notificação de óbitos.

*Com informações da Secretaria de Saúde



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem