Blitz educativa alerta para o perigo do tráfico humano

A Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus) por meio da Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência (Subav) e em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizou nesta sexta-feira (30) uma blitz educativa para marcar o encerramento da Semana Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Blitz parou 86 veículos e alertou motoristas e passageiros para o perigo do tráfico de pessoas | Foto: Divulgação/Sejus

Durante a ação de conscientização intitulada “Não dê carona para o tráfico de pessoas”, vários motoristas e passageiros que trafegavam pela BR-020 receberam orientações e material de apoio sobre a prevenção, os riscos e os impactos gerados por esse crime. Ao todo, 86 veículos foram parados e 569 pessoas foram abordadas.

“O que mais chamou a atenção na campanha foi o fato de que as pessoas se surpreendiam com o tema e alguns até imaginavam que o crime nem existia mais” Janandreia de Medeiros, subsecretária de Apoio a Vítimas de Violência

Para a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, o conhecimento sobre o tema é de fundamental importância para a sociedade. “Estamos empenhados em dar as mãos às iniciativas locais de prevenção para coibir essa prática que tanto fere os direitos humanos. Além disso, o papel da Sejus no enfrentamento ao tráfico de pessoas é prestar apoio e atendimento psicossocial às vítimas e aos familiares, além de fortalecer a Política e o Plano Distrital de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas”, complementa.

Segundo a subsecretária de Apoio a Vítimas de Violência, Janandreia de Medeiros, “o que mais chamou a atenção na campanha foi o fato de que as pessoas se surpreendiam com o tema e alguns até imaginavam que o crime nem existia mais.”

Ações no DF

O Plano Distrital de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas foi instituído pelo Decreto nº 36.178, de 23 de dezembro de 2014, e tem por princípio estabelecer diretrizes e ações de prevenção e repressão ao tráfico de pessoas e de atenção às vítimas.

No DF, é a Sejus que presta apoio e atendimento psicossocial às vítimas desse crime, desenvolve estudos, pesquisas e ações que visam o fortalecimento das políticas públicas de proteção e articula a rede de atenção ao tráfico de pessoas. Além disso, ministra palestras sobre o tema nas redes de ensino, forma parcerias com organizações da sociedade civil e presta apoio administrativo e logístico para o funcionamento do comitê de enfrentamento a essa violação.

O que é o tráfico de pessoas?

Segundo a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional, conhecida também como Convenção de Palermo, o tráfico de pessoas é caracterizado pelo “recrutamento, transporte, transferência, abrigo ou recebimento de pessoas, por meio de ameaça ou uso da força ou outras formas de coerção, de rapto, de fraude, de engano, do abuso de poder ou de uma posição de vulnerabilidade ou de dar ou receber pagamentos ou benefícios para obter o consentimento para uma pessoa ter controle sobre outra pessoa, para o propósito de exploração.”

Para alertar e conscientizar a população do DF sobre a gravidade do tráfico humano, a Sejus disponibiliza um canal para prestar informações e receber denúncias desse crime. O telefone é o 2104-4292 e o e-mail é o getpam@sejus.df.gov.br.

*Com informações da Sejus



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem