Criança com identidade é criança mais segura!

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Uma manhã de sol e conscientização no Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Neste sábado (24), a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) lançou o Programa Identidade Cidadã para conscientizar pais e responsáveis sobre a importância de emitir a identidade de crianças e adolescentes. Essa é a primeira de uma série de ações alusivas à Semana Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, promovida entre os dias 26 e 30 deste mês.

Servidores e voluntários abordaram as pessoas no Parque da Cidade para entregar panfletos e reforçar a respeito da importância do ato de emitir o registro geral para crianças e adolescentes, que pode ser feito a partir dos 6 meses de idade | Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Servidores e voluntários da pasta, acompanhados do mascote Sejuquinha, abordaram os frequentadores e frequentadoras do Parque da Cidade na altura do Quiosque dos Atletas, entregando panfletos e conscientizando sobre a importância do ato de emitir o registro geral para crianças e adolescentes, que pode ser feito a partir dos 6 meses de idade. Para reforçar o tema, a emissão da primeira via do RG nos postos do Na Hora será exclusiva para este público durante a Semana Nacional de Enfrentamento.

“Infelizmente, sequestros, desaparecimentos e envio de pessoas para outros países são uma realidade. Isso é um perigo real e a gente vai proteger nossas crianças e adolescentes inserindo-os no sistema de segurança nacional, por meio do registro de identidade” Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

O autônomo Ricardo Amorim, 53 anos, elogiou a ação realizada pelo Governo do Distrito Federal (GDF). Ele estava acompanhado da filha Mariana, 6 anos, e explicou que, apesar de já ter emitido a identidade dela, acha importante a conscientização de outros pais e responsáveis. “Tem que ter um registro, se ela se perder ou algo acontecer, deixa a gente mais seguro. Antigamente não tinha isso, as pessoas ficavam por muitos anos sem um documento”, avalia.

Acompanhada dos filhos Miguel, 7 anos, e Esther, 6, a dona de casa Fátima de Jesus, 45, contou que vai levá-los para tirar os documentos na próxima semana. “A gente lembra dessas coisas mais quando eles têm que viajar, não tinha noção de que era tão importante sim. Com certeza a gente vai no Na Hora o quanto antes”, conta.

A secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, participou da ação de conscientização no Parque da Cidade e reforçou a importância do tema para a pasta. “Infelizmente, sequestros, desaparecimentos e envio de pessoas para outros países são uma realidade. Isso é um perigo real e a gente vai proteger nossas crianças e adolescentes inserindo-os no sistema de segurança nacional, por meio do registro de identidade”, ressalta.

“A prevenção é a melhor ferramenta de combate ao tráfico de pessoas; e mais importante que resgatar uma pessoa é fornecer conhecimento para que ela não se torne uma vítima”, lembra a subsecretária de Apoio a Vítimas de Violência, Janandréia de Medeiros Dantas.

Dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc) indicam que o tráfico de pessoas explora cerca de 2,5 milhões de indivíduos no mundo. Globalmente, uma em cada três vítimas detectadas é criança – a maioria traficada para trabalhos forçados.

Como denunciar

Para alertar e conscientizar a população do DF sobre a gravidade do tráfico humano, a Sejus disponibiliza dois canais para prestar informações e receber denúncias deste crime: o Disque 2104-4292 e o e-mail getpam@sejus.df.gov.br.

*Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania

 



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem