Prevenção contra incêndios florestais conclui uma etapa

“Reforçamos o trabalho com os aceiros, a fim de impedir que o fogo se alastre” Sarney Filho, secretário do Meio Ambiente

O Governo do Distrito Federal, por meio do Instituto Brasília Ambiental e da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), encerrou, nesta quarta-feira (14), as ações de prevenção aos incêndios florestais nas unidades de conservação, com a construção de aceiros negros.

A prática preventiva foi realizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Gama e Cabeça de Veado, que abrange o Parque Ecológico do Tororó, o Jardim Botânico de Brasília, a Fazenda Água Limpa, a Reserva Ecológica do IBGE e áreas da Marinha, englobando aproximadamente 25 mil hectares de área preservada.

Ação faz parte do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Ppcif), da Secretaria do Meio Ambiente | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

O secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho, aponta que a iniciativa é fundamental para alcançar resultados positivos. “É importante ter em vista que, no ano passado, tivemos uma redução de 50% dos incêndios florestais nas unidades de conservação; por isso, reforçamos o trabalho com os aceiros a fim de impedir que o fogo se alastre”, afirma.

Para o secretário-geral do Brasília Ambiental, Thúlio Moraes, a parceria entre os órgãos distritais e federais é um diferencial. “Estamos atuando em conjunto na realização de ações que são realmente efetivas na prevenção e combate ao fogo”, reforça. “Nosso objetivo é seguir trabalhando para que a área queimada no DF seja cada vez menor”.

A construção do aceiro negro consiste na retirada do material combustível – no caso, a vegetação seca –, criando faixas de segurança entre esses espaços de preservação e seus acessos. “O Parque Ecológico do Tororó recebeu o último aceiro deste ano”, informa o diretor de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do instituto, Pedro Cardoso. “Esse trabalho com fogo controlado é uma forma de impedir que o fogo chegue às nossas unidades”.

Prevenção 

A iniciativa faz parte do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Ppcif), coordenado pela Sema, e conta com o apoio de outros órgãos distritais e federais, como Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Departamento de Estradas de Rodagens (DER), Jardim Botânico de Brasília (JBB), Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF), Fazenda Água Limpa (FAL/UnB), Reserva Biológica do IBGE, Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (Ciab) da Marinha e Ala 1 da Aeronáutica.

*Com informações do Brasília Ambiental



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem