Avenida Hélio Prates vai receber pavimentação em concreto

O primeiro trecho da reforma da Avenida Hélio Prates, da via N3 até a M1 em Ceilândia, está sendo preparado para ganhar pavimentação em concreto na pista da direita – incluindo as faixas de desaceleração. São 3,8 quilômetros de vias que passam por drenagem e terraplanagem para receber 29 mil metros quadrados do material, que vai garantir melhor desempenho e durabilidade, principalmente para o tráfego de veículos mais pesados, como o BRT. O investimento nesta primeira etapa da obra é de R$ 14,3 milhões, gerando cerca de 150 empregos.

A nova pavimentação vai garantir um desempenho mais seguro, principalmente para os veículos mais pesados, como o BRT. O espaço de frenagem em superfície molhada, por exemplo, tem uma redução de cerca de 45% | Fotos: Acácio Pinheiro/Agência Brasília
“O asfalto resiste a cerca de 10 anos, já o concreto são 20 anos. Também é mais seguro para o usuário, com menor distância de frenagem em uma superfície molhada, chegando a redução a cerca de 45%” Ricardo Terenzi, subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras

O subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras da Secretaria de Obras, Ricardo Terenzi, explica que o material foi escolhido pela qualidade. “O asfalto resiste a cerca de 10 anos, já o concreto são 20 anos. Também é mais seguro para o usuário, com menor distância de frenagem em uma superfície molhada, chegando a redução a cerca de 45%”, comenta.

Segundo Terenzi, o material já foi usado em trechos da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), por exemplo. “O concreto não sofre as deformações do pavimento asfáltico. Não amolece quando esquenta. Ou seja, é qualidade, conforto e segurança para aqueles que utilizam as vias”, reforça o subsecretário de Obras.

A reforma total da avenida, que abriga instituições de ensino, saúde e esporte, terá investimento superior a R$ 68 milhões e dará emprego a cerca de 900 pessoas

Outro benefício do concreto, de acordo com o diretor de Engenharia de Trânsito do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), Pedro Paulo Gama, é a resistência ao tráfego pesado. “As faixas do BRT da Epia [Estrada Parque Indústria e Abastecimento] continuam em ótimo estado de conservação, mesmo com a passagem constante de ônibus. O trecho que ligava o final do Eixo Rodoviário ao balão do Aeroporto que não era desse material já estava deteriorado”, lembra.

Reforma

A reforma total da avenida – que homenageia um ex-governador da capital e que cruza Taguatinga, ligando o Sol Nascente/Pôr do Sol ao Pistão Norte – tem investimento superior a R$ 68 milhões e deve empregar cerca de 900 pessoas. O local abriga diversas instituições de ensino, saúde e esporte, além de residências e estabelecimentos comerciais, razão pela qual apresenta alto índice de circulação de pessoas e carros.

Serão feitos serviços de drenagem, ampliação e remodelação de calçadas e estacionamento, pavimentação, construção de via marginal, ciclovia, mobiliário urbano, paisagismo, arborização e sinalização em 7,2 quilômetros de pista.



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem