Campeões de desrespeito aos protocolos da covid-19

Estabelecimentos que promovem shows, eventos e aglomerações, em desconformidade com os decretos de combate à covid-19, terão reforçada a fiscalização por meio da Operação Baco. As ações da Secretaria DF Legal, em conjunto com os órgãos da Força-Tarefa do GDF, priorizarão entre 15 a 20 bares e restaurantes com mais reclamações em todo o Distrito Federal.

“A DF Legal, em conjunto com as equipes da Força-Tarefa, está intensificando suas ações de fiscalização. Elencamos os 'top 20' bares e restaurantes que mais têm reclamações. Eles serão vigiados de perto” Cristiano Mangueira, secretário da DF Legal

Para agir de forma efetiva e evitar que os responsáveis possam burlar a fiscalização, pedindo que clientes se sentem ou desligando o som quando avistam o comboio de fiscais se aproximando, agentes de fiscalização dos órgãos trabalharão de forma velada, fazendo imagens e vídeos que farão parte de relatórios. O objetivo é dar maior efetividade, punir de forma mais dura quem não tem cumprido com as medidas e, se for o caso, impedir o funcionamento por até 60 dias.

“Levando em consideração que alguns estabelecimentos não têm se adequado às regras previstas nos decretos que norteiam o combate à covid-19, promovendo shows e eventos, a DF Legal, em conjunto com as equipes da Força-Tarefa, está intensificando, por meio da Operação Baco, suas ações de fiscalização sobre aqueles que insistem em burlar nossos esforços”, afirma o secretário da DF Legal, Cristiano Mangueira.

“Elencamos os ‘top 20’ bares e restaurantes que mais têm reclamações de aglomeração e violações de protocolos. Eles serão vigiados de perto, inclusive, com servidores descaracterizados, que irão aos estabelecimentos gravar e registrar tudo e, posteriormente, notificar e multar”, explica o secretário.

As primeiras ações da Operação Baco tiveram início nesta quinta-feira (26). Um dos campeões de reclamações de aglomeração e dança, localizado na Estrada Parque Taguatinga, foi o primeiro a ser multado pelos fiscais.

Ao chegar à casa de show, que recentemente ganhou destaque na imprensa por promover um evento sem autorização, os auditores encontraram pessoas dançando e andando pelo estabelecimento, consumindo bebidas e sem o uso de máscaras.

O artista que se encontrava no palco ainda tentou pedir para que os clientes se sentassem e colocassem as máscaras, mas não conseguiu evitar a ação fiscal, que aplicou multa de R$ 4 mil e interditou o estabelecimento por até 60 dias.

Balanço

Apenas na primeira noite, as equipes da DF Legal multaram 14 estabelecimentos por descumprimentos diversos de protocolos sanitários e interditou cinco deles. Ao todo, 4.517 comércios foram vistoriados e 314 abordados.

As fiscalizações de bares e restaurantes são realizadas diuturnamente de segunda a domingo com 11 equipes, divididas por regiões. Entre as obrigações a serem cumpridas pelos estabelecimentos estão:

– Aferir a temperatura de todos na entrada
– Ofertar álcool gel
– Impedir aglomerações
– Respeitar o horário de funcionamento
– Higienizar locais de uso comum
– Verificar o uso correto de máscaras e a devida proibição de circulação sem essa proteção
– Determinar um distanciamento mínimo
– Proibir a dança nos locais onde haja música

 

*Com informações do DF Legal



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem