Consultório na Rua leva saúde a famílias necessitadas

Famílias que vivem em uma área considerada de grande vulnerabilidade social, num assentamento na região da Boca da Mata, em Taguatinga, receberam, nesta terça-feira (24), a visita da equipe do Consultório na Rua. A ação tem por objetivo facilitar o acesso aos serviços de saúde, levando assistência médica e vacinação contra covid-19 para essa comunidade.

Para a visita à comunidade da Boca da Mata, a equipe levou vacinas Janssen, aplicadas em dose única | Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

No local, os moradores se mantêm catando materiais recicláveis na rua. Muitos não possuem nem documentos e, por isso, acabam enfrentando dificuldades na hora de buscar atendimento médico em alguma unidade.

“Nosso trabalho é ir nos locais de grande vulnerabilidade social, como praças, invasões, viadutos, marquises, pontes, e encontrar essas pessoas para viabilizar os serviços de saúde e facilitar esse acesso”, explica Ana Rosa Barreto, assistente social da equipe do Consultório na Rua de Taguatinga.

Na ação na Boca da Mata, além de atendimento médico de rotina para quem se queixava de algum problema, a equipe também aplicou a dose única da vacina Janssen. Foram levadas para a ação cerca de 35 doses do imunizante.

Alívio

“Não fui atrás antes, mas agora estou superfeliz de ter tomado a vacina. É melhor ainda porque vieram aqui perto de casa, já aproveitei e vacinei. Agora estou bem mais aliviada” Klésia Dias, catadora de materiais recicláveis

Klésia Dias, de 35 anos, catadora de materiais recicláveis, disse que ainda não tinha ido tomar a vacina porque passa o tempo todo trabalhando ou cuidando dos filhos. “Não fui atrás antes, mas agora estou superfeliz de ter tomado a vacina. É melhor ainda porque vieram aqui perto de casa, já aproveitei e vacinei. Agora estou bem mais aliviada”, afirma.

Mesmo em casos de pessoas sem documentos de identificação, a equipe do Consultório na Rua realiza o atendimento e tenta localizar os dados desse cidadão, através do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações ou ligando para a UBS mais próxima, para tentar puxar pelo sistema Trakcare ou e-SUS.

“Quando jogamos no sistema do Ministério da Saúde aparece se esse cidadão já se vacinou, quantidade de doses etc. Quando não tem cadastro, nós fazemos e lançamos o número do CPF. O importante é não deixar ninguém sem atendimento”, destaca a assistente social.

De acordo com Ana Rosa, a equipe do Consultório na Rua de Taguatinga é responsável pelo atendimento da população vulnerável e em situação de rua de toda a região Sudoeste e é composta por uma equipe multiprofissional, que inclui médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem e motoristas.

Além de prestar atendimento médico, a equipe também ajuda essas pessoas a se cadastrarem em programas sociais e faz a ponte com outras secretarias para que elas consigam ter acesso a outros benefícios, como local para se abrigar e fazer refeições.

“Cada tipo de população tem sua vulnerabilidade, alguns estão na rua por falta de recursos financeiros, outros por conta do uso de álcool e drogas. Então, temos que tentar atender a necessidade individual de quem nos procura”, ressalta.

O Distrito Federal conta com três equipes de Consultório na Rua, localizadas em Ceilândia, Taguatinga e Plano Piloto.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem