Segmento de beleza e bem-estar é recebido pelo GDF

Maior capacitação dos empresários e redução da carga horária foram algumas alternativas sugeridas para enfrentar dificuldades trazidas pela pandemia

O Fórum Econômico A Economia Pós-Pandemia desta quinta-feira (16) recebeu representantes do segmento de beleza e bem-estar. O evento, realizado no Salão Nobre do Palácio do Buriti, é promovido pela Secretaria de Economia (Seec) e pelo Conselho Permanente de Políticas Públicas e Gestão Governamental (CPPGG).

Esta foi a sétima edição do módulo Na Hora de Ouvir, que tem como objetivo incentivar o diálogo com os setores econômicos em busca de alternativas para impulsionar a economia local e superar os efeitos da pandemia da covid-19.

Profissionais de educação física e representantes de academias, salões de beleza e setor de cosméticos reuniram-se com o governo para relatar as dificuldades enfrentadas durante a pandemia. Apontaram possíveis soluções, como maior capacitação dos empresários do setor e redução da carga tributária.

As propostas foram ouvidas pelos representantes do governo – os secretários de Economia, André Clemente; de Desenvolvimento Econômico, José Eduardo Pereira, e de Empreendedorismo, Amós Batista de Souza, além da diretora técnica do Sebrae-DF e secretária executiva do CPGG-DF, Rose Rainha, e do presidente da Codeplan, Jean Lima. Eles se comprometeram a dar encaminhamento às demandas e manter o diálogo com o setor.

Busca de soluções

A abertura e a continuidade do diálogo foram elogiadas pelos participantes do evento, como o empresário Valteni Souza, que destacou: “Quero parabenizar o governador Ibaneis Rocha, que tem feito um grande trabalho ao ouvir os empresários que podem alavancar a economia do DF”.

“Nós somos um governo que ouve, que entrega, que faz, que muda vidas, que transforma realidades” André Clemente, secretário de Economia

A iniciativa de realização do fórum também foi aprovada pela diretora administrativa e financeira do Sindicato das Empresas do Comércio Varejista de Cosméticos, Produtos de Perfumaria e Higiene Pessoal do Distrito Federal  (Sindbele-DF), Érika Flávia Miguel Lobo. “Saber que o governo está com os olhos voltados para este segmento é muito gratificante”, disse.

Durante o evento, a Codeplan apresentou um estudo com os dados referentes ao segmento de beleza e bem-estar no DF. Segundo o levantamento, “o gasto médio das famílias brasilienses com produtos de beleza é 25% maior que a média brasileira e o segundo maior entre as unidades da Federação”. No DF, esse valor é de R$ 117 por família, enquanto no Brasil a média é de R$ 93,54.

Apoio

“O governo se preocupou desde o início com o desenvolvimento e o crescimento do DF”, lembrou o secretário de Economia. “Nós somos um governo que ouve, que entrega, que faz, que muda vidas, que transforma realidades. Vocês são ouvidos e são considerados.”

Até agora, o fórum já recebeu representantes dos setores de economia criativa, transporte, construção civil e imóveis, moda e vestuário, turismo, hospedagem e gastronomia, tecnologia da informação e comunicação, inovação e startups. Estão previstos mais 13 encontros para abranger todo o setor produtivo do DF.

A Seec e o CPPGG-DF vão produzir um relatório final, com o objetivo de nortear a implementação de um plano de ações efetivas, além das que já foram empreendidas pelo GDF para apoiar o setor produtivo no contexto da pandemia da covid-19.

Além dos representantes do governo, o fórum contou com as presenças da diretora do Sindicato dos Salões, Institutos e Centros de Beleza, Estética e Profissionais Autônomos, Rosalba Maciel; da presidente do Sindicato das Academias do DF, Thaís Ferreira; do presidente do Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região Distrito Federal, Patrick Novaes Aguiar, e de empresários do ramo.

*Com informações da Secretaria de Economia



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem