Moradores de Águas Quentes sofrem com descaso da NEOENERGIA

 Moradores de Águas Quentes, pertencente à região administrativa do Recanto das Emas, sofrem com descaso da NEOENERGIA desde a tarde da última segunda-feira (25). O fornecimento do serviço foi interrompido aproximadamente às 17:29 de ontem e até a publicação desta reportagem nenhuma providência foi tomada.

Vários chamados foram abertos na Central de Atendimento da NEOENERGIA e também pelo WhatsApp da empresa. Clientes informaram que os protocolos abertos ontem foram encerrados como solucionados, no entanto o fornecimento de energia não foi restabelecido.


(Imagem enviada por moradores da região no WhatsApp.
O carro da empresa está no local, mas providências não são tomadas)

Enquanto isso, muitos moradores sofrem sem luz e água, já que na maioria o abastecimento de água nas chácaras do setor é feito por poço artesiano, devidamente regularizado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (ADASA), que necessitam de energia para o funcionamento das bombas.


Em Setembro deste ano a NEOENERGIA fez o cadastro de residências no setor e ligou relógios, mas nenhuma melhoria de infraestrutura foi feita. “Como ainda não recebemos a conta de luz, a maioria dos moradores não tem o código do cliente em mãos, e ficamos reféns dessa situação”, relatou uma moradora.


“Estou desde ontem sem água e energia. Ficar assim com 2 crianças é muito dificil”, desabafou outro morador. Comerciantes da região já começam a contabilizar prejuízos por perda de produtos que precisam ser refrigerados.


O fornecimento de energia elétrica é um serviço essencial que deve ser prestado de forma ininterrupta, com segurança e qualidade aos usuários. Por isso, com base no Código de Defesa do Consumidor, é possível pedir o desconto em conta quando houver falhas no serviço.


Dessa forma, é possível exigir uma compensação por danos morais podendo ser requerida no âmbito do Juizado Especial Cível, popularmente conhecidos como Pequenas Causas, quando o prejuízo for de até  40 salários mínimos e não houver necessidade de perícia.


A empresa não se manifestou sobre o caso e enquanto isso vários clientes continuam à mercê da má gestão de forneceimento elétrico na cidade.
Roberta Oliveira

Escritora Infantil, Educadora Socioemocional, Coaching Kids, Contadora de Histórias, Animadora Infantil

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem