Samu-DF promove capacitação para urgências em saúde mental

Médicos e enfermeiros de oito estados brasileiros participaram, no Distrito Federal, nesta sexta-feira (1º), de um curso de formação de multiplicadores em urgências e emergências em saúde mental. O curso presencial reuniu 29 profissionais da área de assistência, treinados com o auxílio de servidores do Núcleo de Saúde Mental (Nusam), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do DF (Samu-DF). Essa foi a segunda capacitação dos profissionais e a primeira a ocorrer presencialmente.

O treinamento em etapas contou com simulações de atendimento a pessoas com transtorno mental. O personagem de vermelho simula um homem com depressão que deixou de fazer o tratamento por medo de sair de casa durante a pandemia de covid-19 e teve um surto | Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde

O treinamento é uma iniciativa do Ministério da Saúde e tem por objetivo melhorar a assistência aos pacientes com transtornos mentais em situação de urgência. Em 2020, foram mais de 7 mil diagnósticos em saúde mental realizados pelo Samu-DF. Surto psicótico, tentativa de suicídio e ansiedade são os que figuram nas primeiras posições.

“Quero destacar a importância do que vocês estão fazendo hoje. Além de se capacitar, vocês devem ser uma 'sementinha' dentro dos seus próprios estados para replicar essa capacitação para seus colegas e pares” Rodrigo Cruz, ministro substituto da Saúde

O atendimento é prestado por profissionais do Nusam, criado em julho de 2016 para atender exclusivamente demandas relacionadas a transtornos psicológicos, como depressão e crises de ansiedade.

Assistência à Saúde

Em sua fala, o ministro substituto da Saúde, Rodrigo Cruz, destacou que o curso é extremamente importante no contexto da pandemia, tendo em vista a expectativa de aumento de crises psiquiátricas. “Quero destacar a importância do que vocês estão fazendo hoje. Além de se capacitar, vocês devem ser uma ‘sementinha’ dentro dos seus próprios estados para replicar essa capacitação para seus colegas e pares”, ressaltou.

O diretor do Samu-DF, Victor Arimatea, pontuou que a realidade nacional é heterogênea, cada Samu tem seu próprio contexto e dificuldades, mas também muitos pontos em comum na prática diária. “Espero que essa iniciativa seja o início de algo muito maior, ao juntar experiências diferentes, ao reunir colegas de diferentes regiões para compartilhar soluções ou ideias. Nosso crescimento tem que ser conjunto”, avaliou.

A mulher com uma vassoura simula uma pessoa em crise de abstinência alcoólica, com alucinações

Ele alertou, ainda, que é preciso olhar para a saúde mental, área historicamente estigmatizada, e entender o que está acontecendo. “O componente pré-hospitalar é a linha de frente, primeiro contato com o paciente. Por isso, capacitações como essa são fundamentais”, afirmou.

Participaram dessa primeira turma médicos e enfermeiros de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Goiânia, Curitiba, Manaus e Fortaleza.

Capacitação

A iniciativa da capacitação do Ministério da Saúde foi operacionalizada pela Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES/MS), com o objetivo de qualificar os profissionais da saúde que atuam em emergências, em especial no componente pré-hospitalar.

O curso é inédito e foi lançado no dia 1º de setembro, marcando o início das aulas virtuais e as ações do Ministério da Saúde para o Setembro Amarelo. O treinamento visa fornecer orientações técnicas para fortalecer a prática de condutas humanizadas e terapêuticas no âmbito da saúde mental e ampliar as competências dos profissionais que atuam nas emergências para qualificar o atendimento de pacientes em sofrimento psíquico, quadro agravado pela pandemia da covid-19.

Uma das etapas do treinamento tem o personagem da mulher de amarelo, que trouxe uma crise de ansiedade e comportamento suicida

Com isso, busca-se oferecer uma assistência cada vez mais adequada aos pacientes que utilizam o Samu e apresentam quadros de ansiedade, depressão, violência autoprovocada, ideação suicida e transtornos por uso de substâncias psicoativas, por exemplo.

A expectativa é que 108 médicos e enfermeiros do Samu de todo o Brasil participem do curso e se tornem multiplicadores em seus estados. Estão previstas mais duas turmas. Os participantes dos estados são divididos entre as três turmas. A capacitação é ministrada por profissionais especialistas do Samu-DF.

Metodologia

O curso utiliza simulação realística para encenar situações de emergências atendidas pelo Samu. A técnica conta com cenários reais, que favorecem um ambiente participativo e de interatividade. Os instrutores simulam o atendimento desde a chamada realizada pelo paciente ou familiar até o devido encaminhamento às unidades de saúde.

Atores simulam as situações e colocam os profissionais à prova. Entre as situações simuladas estão surtos psicóticos, abuso de álcool, comportamento suicida, agitação psicomotora e comunicação de más notícias, como a morte de um familiar. Após a simulação, houve um momento de discussão com os participantes.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem