Cobogó de Cerâmica

Momentos de calma, paciência, prática e introspecção - é atravessada e atravessado por estes espaços de tempo que ceramistas desenvolvem seus métodos criativos e etapas de produção.

Alfaia Cerâmica / Foto: Andréa Alfaia


Desde a concepção de uma série ou coleção de peças, que parte do design, passando pela técnica a ser empregada, até chegar à escolha dos materiais, as e os artistas que se apresentam no Cobogó de Cerâmica dominam com habilidade cada uma dessas fases.


São processos que resultam em peças exclusivas, feitas uma a uma pelas mãos da ou do artista. Para se chegar ao produto ou obra artística que se espera, ceramistas dedicam-se a longos exercícios de experimentação e muito estudo.


Com isso, toda a produção a ser apresentada no evento, que ocorre dia 6 de novembro (sábado), na área externa do Mercado Cobogó (704/5 Norte), é exclusivamente artesanal, unitária ou em baixíssima escala, e traz em cada uma das peças a assinatura e identidade de quem as realizou.


Ao todo, 13 artistas ceramistas participam do 2º Cobogó de Cerâmica, todas e todos de Brasília. Entre mais experientes e principiantes, apresentam-se, elas e eles, enquanto iguais neste encontro e assinam como Alfaia Cerâmica;  Amor Im CerâmicaAna + FláviaAteliê AraBento ArtsCerâmica LunarMica CerâmicaCris MartimEsbarro CerâmicaFernanda VasconcelosFlavia PintoLuciana Cosati; e Seu Barromeu.

 

 

Sustentável - Tudo pode ser reaproveitado, nada é de origem animal, todos os insumos são atóxicos e não poluentes, e tem alta durabilidade.


Peças cruas podem voltar ao seu estado natural de argila, as queimadas, trituradas e misturadas à argila. Excessos de esmaltes ou engobes - também misturados - resultam em novas cores e tons.


Tudo pode ser encontrado na natureza. A terra filtrada, vira argila. Cinzas, areia, argila e óxidos bem dosados, tornam-se esmaltes ou engobes exclusivos. As ferramentas são feitas de metal e madeira, em sua maioria.


A queima em alta temperatura, torna as peças refratárias e garante a elas durabilidade. O que as faz resistir a muitos anos de uso contínuo. Todas podem ir ao forno a gás, elétrico ou micro-ondas, assim como à lava-louças.

 

 

Uma experiência que se mostrou bem-sucedida

A primeira edição, com a participação de um número semelhante de ceramistas, mostrou o crescente interesse do público em consumir e valorizar a arte sustentável e única representada na cerâmica.

 

Ao longo do dia da primeira mostra, realizada em agosto, uma expressiva quantidade de pessoas transitou entre as mesas tirando dúvidas acerca de tudo que envolve a produção de cerâmica.

 

Muitas deixaram o espaço após adquirir peças para uso próprio ou presentear alguém, outras aproveitaram a oportunidade para fazer encomendas exclusivas e todas saíram com a promessa de retornar.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem