Quer adotar um pet? Na Zoonoses tem 25 cães e gatos a espera de um lar

Assim como os seres humanos, os animais também querem receber amor e carinho. Na gerência de Vigilância Ambiental de Zoonoses há 25 cães e gatos aptos a serem levados para casa e tornar mais feliz o lar de quem os escolherem. São animais que passaram por alguma situação triste de maus tratos ou de abandono e que agora podem ser a companhia de quem ainda não tem ou que deseja ter mais um pet.

Os gatos que estão disponíveis para adoção, além de receberem a vacina contra o vírus da raiva, também foram testados para FIV (Aids felina) e FeLV (leucemia felina) | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Hoje, os 10 cães e 15 gatos (sendo duas fêmeas com 4 filhotes cada uma) estão no canil e no gatil da Zoonoses há mais de oito meses. Nessa idade, eles já são considerados adultos e, devido ao fato de muita gente preferir os filhotes, acabam ficando no local por mais tempo.

Antes de serem liberados para adoção, os animais passam por exames e são monitorados para certificar que não estão infectados pelo vírus da raiva. Após dez dias, os pets são vacinados e vermifugados. Além disso, a Zoonoses ainda garante a castração dos animais que forem adotados

“Muitas pessoas não querem adotar um cão ou gato adulto por medo do animal não se habituar aos costumes da casa, porém, temos apenas um caso de devolução do animal, e não foi por esse motivo. O animal que recebe carinho e alimentação logo se acostuma aos novos tutores”, ressalta o veterinário da Zoonoses Frederico Torres.

Tratamento

Antes de serem liberados para adoção, os animais passam por exames e são monitorados para certificar que não estão infectados pelo vírus da raiva. Após dez dias, os pets são vacinados e vermifugados. Além disso, a Zoonoses ainda garante a castração dos animais que forem adotados. “Estão todos em excelentes condições para serem adotados. Os gatos, além de receberem a vacina contra o vírus da raiva, também foram testados para FIV (Aids felina) e FeLV (leucemia felina)”, explica Frederico Torres.

Viny é um vira-lata macho de porte médio. Se no passado a fome era rotina, hoje ele é bem alimentado, está saudável, mas espera alguém para adotá-lo | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

História

Dentre os cães que estão para adoção, a Bianca e o Viny se destacam. Ambos carregam consigo um olhar meigo e receptivo. Os dois foram resgatados da casa de uma pessoa acumuladora e viviam em situação de abandono.

A Bianca é uma cadelinha preta, de médio porte, e tem cerca de dois anos. Apesar de ser sapeca e brincalhona, a cachorrinha esconde um certo medo no olhar. Pelas condições em que ela foi encontrada deixa claro o porquê desse olhar medroso. Rodeada de muito lixo e sem nenhum cuidado humano, Bianca se virava como podia para se alimentar e sobreviver. Quem tiver o privilégio de levar Bianca para casa, receberá de volta muito carinho e companheirismo.

Já o Viny é um vira-lata macho de porte médio. Se no passado a fome era rotina, hoje ele é bem alimentado, está saudável, mas espera alguém para adotá-lo. O olhar medroso e receoso deixam claro que ele ainda não conheceu o amor e a amizade que um ser humano pode proporcionar.

Além da Bianca e do Viny, existem outros animais nas mesmas condições e com a mesma necessidade em ter um lar rodeado de cuidado e afeto. Muitas vezes o animal se torna arredio e arisco por uma questão de sobrevivência. Animais de rua ou em situação de abandono enfrentam, além da fome, maus tratos de pessoas violentas e como forma de defesa partem para o ataque.

Mas nada que um lar cercado de amor e cuidado não vença a desconfiança desses animais, que logo se tornarão os bichinhos de estimação prediletos das famílias que os escolherem.

O responsável pela adoção deve ser maior de 18 anos e assinar um termo de responsabilidade se comprometendo a cuidar de forma responsável | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Como adotar?

O candidato a adotar um animal deve acessar o site Amigos da Zoonoses e responder um formulário com algumas perguntas sobre como deseja cuidar e conviver com o cão ou o gato.

Esse formulário será analisado pela equipe de voluntários da Zoonoses que entrará em contato com o interessado. Para a retirada do animal, é preciso levar documento de identidade, CPF, uma coleira no caso de adoção de um cãozinho ou caixa apropriada se for um gato.

O responsável pela adoção deverá ser maior de 18 anos e assinar um termo de responsabilidade se comprometendo a cuidar de forma responsável.

Além disso, para quem deseja levar um pet para casa é importante ficar atento a alguns detalhes:

– Se o seu cachorro vai dormir ou viver fora da casa, é importante que ele tenha uma área onde possa se refugiar do sol, da chuva, vento, calor e frio;
– O local de descanso, fora ou dentro da casa, deve ser confortável e limpo;
– Casas devem ser cercadas e protegidas para impedir a fuga do animal;
– Em apartamentos, as janelas devem ser teladas ou gradeadas para evitar quedas e mortes.

Tudo isso deve ser levado em conta, mas, o que é realmente importante é o amor e o tempo que a família que pensa em adotar um animalzinho terá para entregar ao seu mais novo amiguinho.

Para quem deseja adotar um animal, basta comparecer à Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), no Setor de Áreas Isoladas Norte (Sain), lote 4, Estrada do Contorno Bosque, Noroeste. O horário de visitação é das 11h às 16h, de segunda a sexta-feira.

*Com informações da Secretaria de Saúde



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem