Saiba a diferença entre ato de gestão e assédio moral

Afinal, qual a diferença entre um ato de gestão e um ato de assédio moral? Como lidar com o assédio sexual? Essas e outras perguntas serão respondidas na live “Assédio na administração pública: o que é preciso saber para prevenir e denunciar”, na próxima quinta-feira (11), às 15h. O encontro terá certificação da Escola de Governo do Distrito Federal para os participantes que o solicitarem durante o evento, que terá transmissão gratuita pela TV Controladoria DF no YouTube.

Arte: Divulgação/Controladoria-Geral do DF

A live contará com duas palestrantes: a chefe da Assessoria de Apoio ao Julgamento da Controladoria-Geral do DF (CGDF), Michelle Heringer, que fará a contextualização do tema no DF e apresentará conceitos gerais; e a procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho em Rondônia e no Acre, Camilla Holanda, que abordará a perspectiva da chefia – como diferenciar o assédio moral dos atos de gestão.

“O objetivo  é propor uma ação preventiva ao assédio, encorajando denúncias e divulgação dos canais apropriados, além de promover um ambiente de trabalho saudável”, afirma o controlador-geral do DF, Paulo Martins. Serão abordadas as perspectivas do servidor e da chefia e as consequências do assédio.

O evento é uma realização da CGDF, da Secretaria da Mulher (SMDF) e da Secretaria de Economia (Seec), com o apoio da Escola de Governo (Egov) e da Secretaria Executiva de Qualidade de Vida (Sequali). O controlador-geral do DF, juntamente com o secretário de Economia, André Clemente, e a secretária da Mulher, Ericka Filippelli, participarão da abertura.

Programação

15h – Boas-vindas e apresentação

  • Ericka Filippelli, secretária da Mulher
  • André Clemente, secretário de Economia
  • Paulo Martins, controlador-geral

15h20 – Contextualização do tema no DF e conceitos gerais

  • Michelle Heringer, chefe da Assessoria de Apoio ao Julgamento da CGDF

16h – Perspectiva da chefia: Como diferenciar o assédio moral dos atos de gestão?

  • Camilla Holanda Mendes da Rocha, procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Rondônia e no Acre

Perguntas e respostas

17h – Encerramento

OBS: A programação poderá sofrer alterações.

*Com informações da Controladoria-Geral do DF



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem