Após temporal, vias do córrego do Arrozal passam por recuperação

Quando as chuvas vêm fortes, as enxurradas dos temporais saem arrastando o que está pela frente. Assim ocorreu no córrego do Arrozal, em Planaltina, onde uma estrada de acesso à região foi danificada e deixou exposta a tubulação de água que abastece parte da vila e as chácaras do núcleo rural.

Chuvas intensas deixaram as vias danificadas | Fotos: GDF Presente
“Vamos resolvendo os problemas com o mínimo que a gente tem, fazendo muita diferença” Ronaldo Alves, coordenador do Polo Norte do GDF Presente

Durante as últimas chuvas, um ônibus atolou na chamada rua da Caixa d’Água. As tentativas de retirá-lo do atoleiro acabaram deixando o terreno ainda mais sensível. Não precisou de muito para que um temporal aumentasse as fissuras, colocando em risco até os veículos menores que transitavam por ali.

Receosos de passarem por cima das manilhas sem aterramento e acabar danificando o material, comprometendo o fornecimento de água, moradores e motoristas de caminhões pesados acionaram o Governo do Distrito Federal (GDF). Com o suporte da Administração Regional de Planaltina, a equipe do GDF Presente foi direto para a comunidade agrícola, iniciando a recuperação da via e preservando o fornecimento da Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) na região.

Máquinas em ação: trabalho pesado para arrumar a estrada

Em dois dias de trabalho, foram transportadas para lá cerca de 200 toneladas de agregado britado – entulho de obras reciclado pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Além de preencher as valas abertas pela chuva, o material permitiu o aterramento e nivelamento de toda a extensão da via, de quase mil metros. “Vamos resolvendo os problemas das pessoas com o mínimo que a gente tem, fazendo muita diferença na vida delas”, afirma o coordenador do Polo Norte do GDF Presente, Ronaldo Alves.

O autônomo Christian Marra, 48 anos, morador de uma das chácaras da região, conta que a estrada, há tempos, precisava de manutenção mais bem-articulada. Ao ver o ritmo dos trabalhos, ele avalia: “O serviço está sendo muito bem-executado, e o material utilizado também é bom. Posso dizer que já melhorou quase 100%”.

 



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem