‘O Caixeiro da Taverna’ abre Curso Internacional de Verão

Para comemorar a abertura do Curso Internacional de Verão, a Escola de Música de Brasília (EMB) apresentou, neste domingo (16), a ópera O Caixeiro da Taverna, de Guilherme Bernstein, com regência do maestro Edvan Moraes. Aberto ao público, o espetáculo teve como palco o Teatro Levino de Alcântara, da própria escola. Foram adotadas todas as medidas de prevenção contra a covid-19, como limitação de público, espaçamento e uso obrigatório de máscaras.

Aluna da Escola de Música de Brasília, Letícia Helena de Lima também participará do curso de verão: “Aprendemos bastante em um curto período” | Foto: Mary Leal/SEE
R$ 1,6 milhão Recursos do Pdaf destinados pela Secretaria de Educação ao Curso Internacional de Verão

O Caixeiro da Taverna é baseada na obra homônima do dramaturgo Martins Pena (1815-1848), introdutor da comédia de costumes no Brasil. “Ópera é essencialmente teatro com música, e esse trabalho é interessante, principalmente para quem está começando a assistir ao gênero, porque é em português”, pontua. “Às vezes, a gente vai assistir uma ópera em italiano e diz ‘não entendi nada, não consegui acompanhar a história”.

Vitoria Rodrigues, de 20 anos, pela primeira vez assistiu a uma ópera. “Nunca tinha vindo, e acho que a iniciativa de abrir ao público é uma coisa boa, e eu gosto de música – quem sabe depois de hoje não resolvo estudar?”, comentou.

O curso

Em sua 43ª edição, o Curso Internacional de Verão vai desta segunda (17) ao dia 29, período durante o qual haverá aulas de práticas instrumentos musicais e capacitação em canto. A Secretaria de Educação destinou R$ 1,6 milhão para as atividades a serem desenvolvidas, com recursos do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf).

As aulas serão ministradas nos turnos matutino, vespertino e noturno, presenciais e on-line, a depender da modalidade que o candidato escolheu. “O Civebra [Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília] é um dos mais importantes cursos de verão na área de música do Brasil, não só a erudita, mas a popular, inclusive com oficinas de especialização”, avalia o diretor da ópera, Lício Bruno, que também atuará como professor no Civebra.

Nesta edição, a EMB celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna. O evento mudou os rumos da arte no país, trazendo uma proposta inovadora, com mais liberdade de expressão e valorização da cultura brasileira.

Também presente ao espetáculo de abertura do curso, a estudante Letícia Helena de Lima, de 19 anos, aprendeu a tocar clarineta na EMB. “A gente tem contato com professores de fora de Brasília e aprendemos bastante em um curto período”, contou. “Por exemplo, em vez de ter uma aula com um professor que vai apontar um a um os nossos problemas, a gente tem uma aula mais abrangente e percebemos formas diferentes de lidar com os mesmos problemas. Com isso, conseguimos desenvolver mais o nosso instrumento”.

Confira aqui a lista atualizada das atividades do Curso Internacional de Verão.

*Com informações da Secretaria de Educação



Fonte: Agência Brasília

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem