ARTE E RESISTÊNCIA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Pesquisadores lançam o projeto “Pandemia e Novas Mídias”, que visa descobrir como artistas periféricos do DF conseguiram se reinventar e fazer sua arte subsistir durante o período da crise sanitária no País.

Felipe Braga - divulgação 

Os músicos, em especial os periféricos, estão entre os que mais sofreram com as restrições impostas pela pandemia. Como os shows presenciais foram proibidos na época, eles tiveram de recorrer à virtualização de sua produção artística. Para entender melhor essa realidade e os impactos na carreira dos artistas independentes, os pesquisadores Filipe Braga, Guilherme Campos e Juliana Caceres criaram o projeto “Pandemia e Novas Mídias: estratégias de enfrentamento para músic@s da cultura popular”. A iniciativa deverá trazer contribuições valiosas para o setor cultural e mostrar alternativas para lidar com futuras crises.

Um dos objetivos do trabalho é investigar como os músicos populares utilizaram as novas mídias, além de outras estratégias, para continuar a disseminar sua arte ao público. Os pesquisadores também querem descobrir de que maneira ocorreu o processo de criação artística no cenário pandêmico e como a crise sanitária afetou a cultura popular e a cadeia de produção musical no Distrito Federal.

Etapas da pesquisa

No momento, o projeto se encontra em fase de pré-produção, que inclui o delineamento da identidade visual, levantamento do material bibliográfico e um questionário virtual a ser respondido por grupos e músicos da cultura popular que conseguiram trabalhar de forma ativa durante a pandemia.

Em uma segunda etapa, os pesquisadores pretendem fazer entrevistas presenciais ou por telefone com pelo menos metade dos artistas que responderam ao questionário na primeira fase.

Por fim, serão selecionados quatro músicos ou grupos e mais quatro trabalhadores da cadeia de produção musical, os quais participarão de um minidocumentário, em que falarão sobre sua experiência no uso de novas mídias na produção artística em tempos de lockdown e restrição de eventos.
 
ARTE E RESISTÊNCIA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Pesquisadores lançam o projeto “Pandemia e Novas Mídias”, que visa descobrir como artistas periféricos do DF conseguiram se reinventar e fazer sua arte subsistir durante o período da crise sanitária no País

Compilação de estratégias

Segundo a musicista e produtora cultural Juliana Caceres, o maior mérito do projeto é compilar, documentar e disponibilizar ao público as estratégias criadas pelos artistas populares para fazer sua arte subsistir. “Acredito que os resultados da pesquisa possam servir de contribuição para gestores da área cultural e até para políticas públicas no setor em momentos de crise sanitária e proibição das atividades artísticas e culturais”, pontua Juliana.

O coordenador da pesquisa, Filipe Braga, que é músico e arte-educador da cultura popular, diz que a iniciativa vai ajudar a fazer um diagnóstico amplo sobre os artistas que sofreram com os efeitos da pandemia. “Muitos deles venderam seus equipamentos, mudaram de profissão e perderam oportunidades. Alguns, inclusive, estão de luto pela perda de familiares e amigos”, analisa.

Além do minidocumentário, o projeto “Pandemia e Novas Mídias” também terá um website e um catálogo para divulgação e exibição dos resultados da pesquisa, e publicação digital de três artigos. Está previsto, ainda, um seminário, evento que deverá ocorrer no início do próximo ano, com data a ser definida.

SERVIÇO:
Projeto Pandemia e Novas Mídias Pesquisadora : Juliana Caceres :: 61 98109-1249 Assessoria de Imprensa : 61 98635-3030 Instagram : @pandemiaenovasmidias www.pandemiaenovasmidias.com.br
Postagem Anterior Próxima Postagem